Campo Grande •22 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo -  MS Desenvolve

Valdelice Bonifácio | Quarta, 13 de Setembro de 2017 - 17h18Polícia investigará retirada de carro de local de acidenteSegundo testemunha, condutora do veículo estaria falando no celular

  
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

A Polícia de Trânsito vai apurar o motivo de o  veículo Fiat Uno, placas NHY-6919, de Paranaíba, ter sido retirado do local de acidente fatal, no Bairro Tiradentes, em Campo Grande, na tarde desta quarta-feira, 13 de setembro.

A condutora Sirlene Robalinho, de 47 anos, atropelou a idosa Verônica Ricaldi Fernandes, de 91 anos, que morreu no local acidente, na Avenida José Nogueira Vieira. Após o acidente, a motorista se recolheu em uma farmácia e não falou com a imprensa. 

O marido dela, o procurador Gilberto Robalinho, disse que ela passou mal ao volante, por isso perdeu o controle da direção e atropelou a idosa.

Segundo informações, foi ele mesmo quem pediu a um conhecido que retirasse o carro do local.  Algo que a Polícia Militar haveria consentido. O sargento Carlos Alberto informou que o procedimento não é de praxe, mas que foi necessário.  "Havia risco de apedrejarem o carro. Por isso, o veículo foi levado para a delegacia onde será periciado", explicou.

Já a Polícia de Trânsito que chegou ao local após a PM questionou o procedimento. “Isso vai constar do nosso Boletim de Ocorrência. Vamos ter que investigar este fato. É claro que ouviremos a justificativa da outra parte”, disse o capitão William Nascimento, da Polícia de Trânsito.

A própria condutora se refugiou na farmácia por medo de ser agredida, segundo o marido dela. “Ela não fugiu do local, apenas foi à farmácia por que não estava passando bem”, ressaltou Robalinho. "Infelizmente não podemos trazer a senhora de volta. Ninguém quer que algo desse tipo aconteça", completou.

Contudo, testemunhas do acidente disseram que a mulher estava falando no telefone celular quando o acidente aconteceu. “Eu vi o acidente, ela estava no celular. Não teve mal súbito nenhum” garantiu a dona de casa Adenir de Oliveira, de 45 anos. O depoimento dela foi colhido pelas polícias militar e civil.

O local foi periciado e a condutora encaminhada ao Pronto Med da Santa Casa. Na sequência, ela seria levada para 4ª Delegacia de Polícia Civil que vai investigar o caso. Segundo policiais, na delegacia a mulher seria autuada em flagrante.

Veja Também
Cassems cadastra 200 colaboradores como doadores de Medula Óssea
'Paz no trânsito', pede vereador atropelado na Capital
Joesley e Wesley Batista são indiciados pela PF por suspeita de crime financeiro
No dia do Cão Idoso, universidade oferece serviços gratuitos em shopping
Vizinhos apagam fogo em residência na Capital
Vandalizadas, capivaras deixarão pontos turísticos
Ações arrecadam brinquedos para crianças carentes
Sicredi Centro-Sul MS irá sortear 26 viagens para associados
Agentes penitenciários se aperfeiçoam em técnicas de imobilização
Alvorada e Rede MS distribuem mudas nativas na Praça Ary Coelho
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento