Menu
23 de março de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega Banner Aguas Guariroba -  Campanha Março - Obras 2019
Inclusão

Participantes de cursos de Libras recebem certificado

Grupo faz parte da primeira turma do curso que foi promovido pela prefeitura da Capital

14 Mar2019Da redação17h17

Os 65 formandos do Curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras) receberam, na última quarta-feira (13) os certificados de conclusão.  O grupo faz parte da primeira turma do curso que foi promovido pela Subsecretaria Municipal de Defesa dos Direitos Humanos (SDHU) e Coordenadoria de Apoio à Pessoa com Deficiência .

O curso, que teve a duração de três meses, busca permitir ao aluno a utilização da Língua Brasileira de Sinais em nível básico possibilitando proferir a comunicação em diversos contextos sociais, principalmente no ambiente de atendimento ao público.

A iniciativa de realizar o curso consiste na compreensão da importância de assegurar à pessoa surda ou com deficiência auditiva o acesso à comunicação, à informação e à educação, refletindo sobre a questão da inclusão e das oportunidades dirigidas a esse grupo. Desta forma, considera a  premissa de que todos têm os mesmos direitos para o pleno exercício da cidadania.

A Língua Brasileira de Sinais (Libras) foi oficialmente reconhecida como a segunda língua oficial no Brasil através da lei nº 10.436 de 2002, e regulamentada pelo decreto 5626 de 21 de abril de 2005, em 2012, é criada a LBI – Lei Brasileira de Inclusão e acessibilidade no território nacional.  A Libras é um meio de comunicação oficial no Brasil, sendo necessário o respeito e uso para garantir os direitos dos surdos e acessibilidade contidos nos alvarás de funcionamento.

Inclusão - O subsecretário Municipal de Defesa dos Direitos Humanos, Ademar Júnior destaca a importância do curso de Libras considerando a ideia principal desse curso que é aproximar o surdo do ouvinte. “A gente percebe que a procura maior pelo curso foi de pessoas que trabalham no comércio e precisam lidar com esse público ou que têm familiares surdos. Isso é inclusão e a gestão municipal tem atuado efetivamente nessa articulação para que as políticas públicas possam chegar até às pessoas com deficiência”, explicou.

De acordo com o Coordenador de Apoio à Pessoa com Deficiência, David Marques a Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos atua de forma permanente para a inclusão das pessoas com deficiência. Com articulações entre as secretarias, instituições, ONGs e associações tem alcançado melhorias pontuais na saúde, educação, transporte, lazer, esporte e atendimento social para esse segmento da sociedade. “Criar oportunidades como essa que buscam uma maior e melhor participação dessas pessoas no convívio social é uma das competências da Coordenadoria de Apoio à Pessoa com Deficiência”, disse.

Para Giovana da Silva Moreira (20) moradora do bairro Centro Oeste, o curso foi oportunidade singular e muito significativa para a vida profissional e social. “Participar deste curso me fez enxergar novos horizontes, daqui para frente vejo o mundo dos deficientes auditivos com outra perspectiva’’, relatou.

Veja Também