Campo Grande •20 de Outubro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner FM Cidade

Da redação | Quarta, 7 de Junho de 2017 - 14h49Parque dos Poderes e das Nações Indígenas ganham estudo fundiário inéditoTrabalho ajudará governo estadual a planejar ações voltadas às duas áreas

  
(Foto: Divulgação)
  • (Foto: Edemir Rodrigues/Governo de MS)

Com o propósito de assegurar importantes áreas em Campo Grande, a equipe de regularização fundiária e cartografia da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) está desenvolvendo um estudo fundiário sobre toda a extensão territorial do Parque dos Poderes e Parque das Nações Indígenas.

O atual estágio do projeto foi apresentado, nesta terça-feira (6.6), aos secretários de Estado de Administração e Desburocratização (SAD), Carlos Alberto de Assis e de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck. O detalhamento de ambos os estudos foram elucidados pelo gerente de regularização fundiária e cartografia da Agência, André Borges. O diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini, também marcou presença no encontro.

“Nós não tínhamos um estudo dos Parques dos Poderes e nem das Nações Indígenas e sentimos a necessidade de um mapeamento sobre o assunto. É um trabalho para que o Governo do Estado pense em um planejamento das suas ações voltado às duas áreas”, enfatizou André Borges.

O Parque dos Poderes abriga as mais importantes entidades dos três poderes: legislativo, executivo e judiciário. Algumas áreas pertencentes ao município, Estado e União. “Pelo estudo você vê que há áreas que pertenciam ao Governo do Estado e o governo fez doação à União, Justiça Federal e Receita Federal, por exemplo”, observou o secretário da Semagro, Jaime Verruck.

Segundo André Borges, dos dois trabalhos em andamento o mais desafiador deles é o projeto sobre o Parque das Nações Indígenas. “O estudo do Parque das Nações é bem mais complexo do que outro. A nossa equipe teve que estudar matrícula por matrícula dos lotes que constituem o que hoje é o parque”,

Ecologia e lazer - Considerado o maior parque urbano do mundo, com extensão de 119 hectares, o local oferece infraestrutura adequada para a prática de esportes e lazer. Originalmente chamado “Parque do Prosa”, o Parque das Nações Indígenas é uma das maiores áreas verdes de Campo Grande. Coincidência ou não, a área que, atualmente, forma o principal ponto de lazer da população campo-grandense, já serviu de endereço para práticas agrícolas e, atualmente, coube a Agraer, instituição de agricultura familiar, cuidar do mapeamento de tudo em benefício da preservação ecológica.

No passado, sobre terras férteis de diversos proprietários que se serviam do local para a produção de hortifrutigranjeiros e para a criação de animais de pequeno porte, o governo estadual resolveu instalar esta área de lazer, por causa da posição geográfica privilegiada – nos altos da Avenida Afonso Pena.

Mapas foram colocados à disposição do público da reunião para conferência. “É um belo trabalho cartográfico que vai ajuda a preservar e a planejar as futuras instalações tanto do Parque dos Poderes como do Parque das Nações Indígenas. O resultado final será levado ao conhecimento do governador Reinaldo Azambuja. Este é mais um trabalho que a Agraer vem desenvolvendo para contribuir com a gestão estadual”, afirmou o dirigente da Agência, Enelvo Felini.

No ano passado, a Agraer havia entregado um mapa detalhado do Parque dos Poderes, com informações atualizadas de cada lote onde estão alocadas as secretarias, autarquias e outras entidades das esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário. “Se vê que é um trabalho muito bem feito pela equipe da Agraer. Acredito que, na história do Estado, é um estudo inédito. Todas as documentações geradas auxiliarão nossas decisões futuras”, enfatizou secretário da SAD, Carlos Alberto Assis.

Veja Também
Locais de prova do Enem poderão ser consultados a partir de hoje
Sexta, 20 de Outubro de 2017 - 06h39Chuva e calor intenso Sexta-feira pode ter a continuidade da chuva
Presídio federal recebe 14 presos e entrega 21
Temporal causa destruição em Três Lagoas
Em Três Lagoas, projeto garante vaga para irmãos na mesma escola
Jovem pede namorada em casamento durante flash mob em shopping
OIT: mudança de regra no combate ao trabalho escravo pode provocar retrocessos
Belmar Fidalgo está sem bebedouro e torneira nos banheiros
Ventania causa estragos em Dourados
Estudantes devem fazer rematrícula na Rede de Ensino de Corumbá
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento