Menu
21 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Trabalho escravo

Paraguaios e brasileiros se unem na fronteira contra o trabalho escravo

Um dos principais instrumentos de combate à escravidão no país está suspenso há mais de dois anos

13 Mar2017Da redação18h45

A “lista suja'' da escravidão, como é chamada, não foi divulgada, a lista que foi criada em 2003 e considerada pela ONU um modelo para a erradicação da escravidão, a lista Suja do trabalho escravo foi bloqueada em 2014.

A Lista serve para consultar os nomes de empregadores e pessoas flagradas e condenadas por uso de trabalho escravo, segundo o site de notícias Porã News a justiça já mandou o Ministério do Trabalho e Emprego tornar a lista pública novamente. Mas o ministro Ronaldo Nogueira se nega, de todas as maneiras, recorrendo uma vez após a outra, e escondendo-se atrás de liminares.

O coordenador nacional da erradicação do trabalho escravo (Conaete) do MPT, Tiago Cavalcanti, disse: “A verdade é que por trás desse impasse da divulgação da lista suja há interesses econômicos fortes. Quem vai figurar são grandes empresas, pessoal do agronegócio e grandes construtoras. Há um interesse econômico encaçapado nesta questão”.

Veja Também

Obra de drenangem interdita trecho da Leão Neto na segunda-feira
Ponte de concreto para substituir a que caiu está 91% concluída
Confira os 12 erros mais cometidos na Declaração do IR
Tribunais e cartórios de MS serão inspecionados
Usando arte, evento alerta contra a cultura do estupro
Homem morre afogado após veículo cair em rio
Aposta feita em Brasília fatura mais de R$ 9 milhões na Mega-Sena
Fiocruz fabricará remédios contra HIV e hepatite C para ofertar no SUS
Shopping proporciona encontros para troca de figurinhas
Eleita nova diretoria do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência