Menu
23 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Rila

Para empresários, Campo Grande pode ser polo de turismo

Comitiva esteve no Paço em solenidade com prefeito municipal

6 Set2017Da redação10h16

Para empresários da Rota de Integração Latino-Americana (Rila), a Capital de Mato Grosso do Sul pode ser um polo de turismo. Hoje, 6, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, recebeu a comitiva da Rila, no Paço Municipal, aonde destacou a importância da Rota para a Capital.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Cargas de MS (Setlog-MS), Cláudio Cavol afirmou que Campo Grande tem muito a desenvolver. "É uma cidade bonita e temos que fomentar o turismo, porque tem muito a crescer", afirma.

A comitiva formada por 95 empresários e autoridades integram um comboio de 25 picapes e cumpriram o percurso de 2.220 quilômetros que passou pelo Paraguai, Argentina com destino final aos portos de Antofogasta e Iquiqui (Chi). “Além de verificarmos in loco a viabilidade desse corredor que ligará o Atlântico ao Pacífico, também participaremos de uma agenda oficial e de rodada de negócios nas localidades”, explica Cláudio Cavol. 

Para ele, a saída para as exportações brasileiras rumo aos mercados asiáticos pelo Pacífico representa uma grande alternativa econômica que possibilitará encurtar a viagem feita atualmente pelo Atlântico em cerca de seis dias. Quando o assunto é competitividade, esse ganho de tempo representa seis dias a menos de viagem feitos atualmente pelo Oceano Atlântico, que leva em média 14 dias para cobrir cerca de 19 mil quilômetros de rota marítima até a Ásia. “A RILA abrirá a possibilidade de incremento nas exportações do complexo soja, por exemplo,  das atuais 67 milhões de toneladas (2016) para 135 milhões, além de outros produtos brasileiros”, afirma Cavol. 

 

Veja Também