Menu
20 de abril de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Super Banner SEGOV - VALE UNIVERDADE
Solidariedade

Bianca precisa de ajuda para vencer a leucemia

Pais de menina de cinco anos estão fazendo campanhas e buscam apoio para o tratamento da filha

27 Jan2019Lucas Barreto - Especial para o Diário Digital10h15
(Foto: Marco Miatelo)
  • Mãe de Bianca faz apelo para que pessoas façam o cadastro para doação de medula óssea
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Bianca Pereira é uma menina de cinco anos que luta contra a Leucemia linfoide aguda (LLA), um tipo de câncer do sangue e da medula óssea que afeta os glóbulos brancos, desde os três. A pequena precisará receber o transplante de medula. Contudo, antes do procedimento, terá que enfrentar outra fase do tratamento que é caro demais para as possibilidades da família. O medicamento necessário não está disponível na rede pública.

Segundo a mãe Vanessa Pereira, de 26 anos, Bianca está no grupo de alto risco. Ela lembra que após o diagnóstico, a filha passou um ano fazendo tratamento de quimioterapia com medicamentos para destruir o câncer, que podem ser administrados via intravenosa ou via oral. A criança ia semanalmente ao hospital. Após esse tempo, ela entrou na fase de manutenção, quando tomava a medicação a cada 21 dias. Bianca ainda teve que fazer oito sessões de radioterapia.

A menina ficou livre da doença por cerca de um ano. Porém, em setembro de 2018, exames apontaram que a doença voltou. Bianca passou a ir toda semana ao hospital. Mas, para continuar o tratamento contra a Leucemia, ela precisa de um medicamento específico, chamado Blinatumomab -- um fármaco biofarmacêutico utilizado no tratamento para leucemia linfoblástica aguda, recisiva ou refractária negativa ao cromossomo Philadelphia. 

Bianca precisaria tomar essa medicação durante três meses. Seriam oito frascos dessa medicação por mês, e cada um custa em torno de R$ 12.500. Calculando, por mês o valor gasto seria de R$ 100 mil e R$ 300 mil nos três meses.

Segundo Vanessa o hospital público onde é feito o tratamento negou a compra. A família teve que recorrer à Justiça com uma ação contra o Estado para conseguir a compra do Blinatumomab. 

A mãe ainda ressalta a importância do cadastramento para a doação de medula, porque independente de a Bianca conseguir tomar a medicação, ela precisa mesmo fazer o transplante, e pra isso ela precisa de um doador compatível.

Os pais da Bianca fizeram o teste, mas segundo Vanessa, o resultado deu 50% de compatibilidade. No caso de Bianca, ela precisa de um doador 100% compatível. Vanessa pede que as pessoas ajudem a causa de Bianca, postando, compartilhando a hashtag #juntospelabia e fazendo o cadastro pra doação de medula.

Para poder levantar fundos para o tratamento da Bianca a família e pessoas próximas estão fazendo campanhas de arrecadação, pelo Facebook Bianca Pereira, pelo Instagram campanha.da.bia e também pelo site Vaquinha Solidária.

Os produtos arrecadados e objetos que estão sendo doados para a família serão usados em um bingo que levantará fundos para o tratamento de Bianca. 

A medula óssea - A medula é um tecido que fica no interior dos ossos, ela produz componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. O transplante da medula óssea é destinado a pessoas com tumores que podem comprometer a medula, como a leucemia, com incapacidade de produzir células e com doença genética. Como anemia falciforme e talassemia também chamada de Anemia do mediterrâneo

Como doar - Para ser um doador de medula óssea, o doador precisa ter entre 18 a 55 anos de idade, estar em bom estado de saúde. Não pode ter doenças infecciosas ou incapacitantes, como, câncer ou doenças hematológicas ou do sistema imunológico. O procedimento é feito dentro do centro cirúrgico, sobe efeito de anestesia geral, que dura em media duas horas. Para poder aspirar à medula são feitas pulsões com auxilio de agulhas nos ossos da bacia. O volume retirado é de 15% e não causa nenhum risco ao doador.  Para mais informações, e se quiserem fazer o cadastro para doador de medula óssea, podem acessar o site do Hemosul o http://www.hemosul.ms.gov.br/como-ser-um-doador/ ou entrar em contato pelo numero: (67) 3312-1500.

Para ajudar a família- Para ajudar Bianca Pereira você pode entrar em contato com a família pelas redes sociais, pelo Facebook: Bianca Pereira, no Instagram: campanha.da.bia, ou entrar em contato pelos números (67) 99286-1565 ( Vanessa, a mãe), (67) 991742780 (Alexandre, o  pai).

Veja Também

Pediatras pedem fim da obrigatoriedade do Teste da Linguinha
Projeto acaba com regimes aberto e semiaberto para crimes violentos
Obra será concluída no prazo de um ano
Jornalista Fabiano Fresneda, que atuou na TV MS Record, morre em SP
Falta de acessibilidade em festa gera indenização a cadeirante
Presos fazem manutenção em universidade
Dívidas junto ao governo poderão ser pagas pela internet
PMA multa de infrator por desmatamento ilegal
MS tem 2ª maior taxa transmissão da dengue
Usuário de drogas é assassinado na madrugada