Menu
23 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
118 anos de Campo Grande

João Crippa, o fundador da igreja Matriz

João Crippa é o único padre enterrado em igreja aqui na Capital, diz Sérgio Cruz

23 Ago2017Elaine Silva - Especial para Diário Digital06h50
Elizete Larceda Souza (Foto:Luciano Muta)
  • Via passou pela mudança de nome quando entrou o ex-governador Levy Dias
  • Elizete Larceda Souza (Foto:Luciano Muta)
  • Silvia Albuquerque (Foto: Luciano Muta)
  • Igreja Matriz São José (Foto:Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • Sérgio Cruz(Foto:Luciano Muta)

O Padre João Crippa tem a sua história pouco conhecida por pelos moradores de Campo Grande, apesar de ser o fundador da Igreja Matriz São José e que tem seu corpo sepultado naquele prédio . Antigamente a via era conhecida como rua da Constituição, porém, o historiador e pesquisador Sérgio Cruz, informou que durante a administração do ex-prefeito de Campo Grande Levy Dias diversas ruas foram renomeadas, houve por bem prestar homenagem ao religioso.

Quem passa pela rua, muitas vezes tem seu ponto de referência sendo como a Praça do Rádio Club ou a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) o RádioClube, um dos principais cluibes sociais da cidade. Há cerca de sete anos a funcionária de serviços gerais, Silvia da Cunha, de 41 anos, chegou na Capital da cidade de Aquidauana e a três anos trabalha em um estabelecimento na rua. “Eu nunca soube da importância histórica das pessoas que dão nome a algumas ruas, mas acho que é algo que deveríamos aprender na escola, saber quem é a pessoa que está com seu nome na rua”, relata Silvia.

Já o motoboy Douglas Henrique Sarati, de 25 anos, anda por todas as ruas de Campo Grande, mas não conhece nenhuma história ou curiosidade. “É importante você saber a história do local, por onde passa. Eu ando por todas as ruas da Capital, mas não conheço nenhuma história”, relata Douglas.

Mas, eles acreditam que é fundamental aprender esses fatos na escola, com conta a vendedora, Elizete Lacerda Souza, de 52 anos. “É muito importante, as crianças têm que crescer aprendendo, fatos como o do Padre que é enterrado na igreja, sendo que isso deve acontecer desde o pré. Para os adultos também é fundamental saber, sempre temos que nos atualizar”, relata Elizete. 

Origem - O nome é em homenagem a Crippa que foi o fundador da Igreja São José, e morreu na década de 40. "Uma homenagem merecida, porque quando ele criou a igreja não tinha nada ali”, afirma Cruz.

Corpo - Após a sua morte o Padre João Crippa foi enterrado na igreja e segundo o pesquisador possivelmente foi o único na Capital. “O tumulo dele ainda pode ser visitado ”, finaliza Sérgio.  

Veja Também

Estudo avalia se hidrelétricas na Bacia do Paraguai causam impacto ambiental
OAB anuncia novo recurso contra cobrança de bagagem em aviões
TJ mantém condenação por homicídio culposo em acidente de trânsito
Caravana da Saúde está de volta e ampliada
Assomasul promove treinamento sobre fiscalização de imposto
Empresa realiza maratona de programação para escolher estagiários
Obras do Reviva Centro alteram linhas de ônibus neste fim de semana
Em Brasília, cemitério que abriga personalidades é ponto turístico
Universidade realiza corrida de carrinhos de rolimã neste sábado
Projeto de Fábio Trad atualiza legislação militar no combate a crimes sexuais