Campo Grande • 08 de dezembro de 2016 • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da Agência Brasil | terça, 18 de outubro de 2016 - 08h20ONU estima receber 400 mil refugiados após ofensiva em MossulTerceira maior cidade do Iraque está sob fogo cruzado após o premier do país

A coordenadora das Nações Unidas para o Iraque, Lisa Grande, afirmou que a entidade está se preparando para receber cerca de 400 mil refugiados por causa da ação militar na cidade de Mossul. As informações são da Agência Ansa.

"Estamos trabalhando sem descanso para abrir, dentro das próximas semanas, mais 22 campos de emergência que podem abrigar até 400 mil refugiados em fuga de Mossul", disse a representante, em coletiva de imprensa em Bagdá.

De acordo com a coordenadora, "até o momento, nós temos seis campos capazes de abrigar 60 mil pessoas", mas é estimado que até meio milhão de pessoas fujam do local.

A terceira maior cidade do Iraque está sob fogo cruzado após o premier do país, Haidar al-Abadi, anunciar uma grande operação para retirar a localidade das mãos do Estado Islâmico (EI). O controle dos jihadistas já dura mais de dois anos e Mossul é considerada a "capital do Califado" proclamado pelo EI.

Na época em que os extremistas tomaram a cidade, em 2014, as imagens de mais de meio milhão de pessoas fugindo a pé rodaram o mundo e alertaram os países "aliados" dos iraquianos de que a situação estava saindo do controle.

Lisa Grande destacou ainda que os traficantes de seres humanos já começaram a atuar na cidade e estão cobrando "cerca de US$ 10 mil" para retirar quem quer fugir do confronto.

Segundo a coordenadora, antes da ofensiva, esse valor girava em torno dos US$ 1,5 mil.

Itália

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Paolo Gentiloni, afirmou que a ação militar no Iraque – que conta com o apoio da coalizão para derrotar o EI –, não deve "repetir" os erros já cometidos por tropas estrangeiras.

"Não pode-se repetir os erros do passado. Não basta libertar Mossul, será preciso gerir a fase sucessiva de maneira inclusiva e estável", disse Gentiloni lembrando que a Itália é o segundo país com mais tropas militares no território iraquiano – atrás apenas dos EUA.

Veja Também
Mulher que dopava vítimas para roubar é indiciada
Na Capital, 370 cartinhas ainda aguardam padrinhos
Nova Lei de Migrações é aprovada pela Câmara Federal
Justiça Itinerante atende o Bairro Universitário nesta quinta-feira
Audiência debate futuro da infância e adolescência nesta sexta-feira
Enfermagem do Hospital Evangélico pode paralisar nesta sexta
Queda de avião de pequeno porte em Manaus deixa cinco mortos
Paciente que recebeu rim do irmão é liberado de hospital
Sai gabarito da segunda prova do Enem
Em MS, 53 crianças cadastradas pelo Judiciário aguardam presente de Natal
square noticias uci
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - cirurgia.net
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2016 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento