Menu
20 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Capital

Nova iluminação chega as Moreninhas, Coophavilla e Noroeste

Serão instaladas 30 mil luminárias em diferentes regiões da cidade até o fim de novembro

16 Set2016Da redação15h35

A substituição das antigas lâmpadas a vapor de sódio e mercúrio por modernas luminárias de led em Campo Grande, que começou na região do Aero Rancho, chega agora ao Conjunto Moreninhas, a Coophavilla e ao Jardim Noroeste. Para acelerar os trabalhos, a empresa Solar Distribuição e Transmissão, escolhida através de licitação para executar o serviço, mobilizou 37 equipes próprias e terceirizadas que trabalham 20 h por dia, em sistema de revezamento.

“Estamos nas ruas das 7h da manhã às 3h da madrugada para instalar 30 mil luminárias em diferentes regiões da cidade até o fim de novembro”, assegura Bruno Soares, engenheiro e responsável técnico da Solar.

De acordo com o gerente de iluminação pública do município, Laércio Araújo Chaves, os principais critérios utilizados pela prefeitura para definir os locais onde inicialmente estão sendo instaladas as luminárias são a quantidade de habitantes da região e o nível de carência sócio econômica dos moradores. Além disso, o serviço contempla também vias de grande fluxo de veículos como é o caso das Avenidas Afonso Pena, Bom Pastor e Eduardo Elias Zahran, onde as obras já foram iniciadas. “Para cada instalação no Centro estamos autorizando duas nos bairros mais afastados”, explica Chaves.

O trabalho é resultado da adesão de Campo Grande à licitação promovida pela Associação dos Municípios da Bacia do Médio São Francisco, da qual a Solar foi a vencedora, na modalidade menor preço. De acordo com o secretário de Infraestrutura da capital, Amilton de Oliveira, o custo oferecido pela Solar é 26 % menor que o encontrado no mercado sul-mato-grossense, o que permitiu uma economia, durante o processo licitatório, de R$ 12,1 milhões para a prefeitura, “sem contar a economia que faremos com a redução dos custos de manutenção e de consumo de energia, estimada em R$ 790 mil por mês somente nos 30 mil pontos que ganharão as novas luminárias”, revela. As placas de led utilizadas em iluminação pública são diferentes das lâmpadas que o consumidor compra para usar em casa. Elas têm vida útil mais longa e custo de manutenção menor.

A chegada da nova iluminação repercutiu favoravelmente nos locais onde já foi implantada, como é o caso da região do Aero Rancho, onde 80 % dos pontos de luz já contam com luminárias de led. O marceneiro Élber Vagner Ribeiro de Almeida, que mora no bairro há 22 anos, ficou feliz com a mudança. “Não só eu, mas diversos moradores só têm o que elogiar do serviço. O Aero Rancho ficou mais bonito”, avalia. José Luís Souza, proprietário de uma loja de roupas na Avenida Presidente Tancredo Neves

O diretor da Solar, Rodrigo Silva, afirma que a receptividade do povo campo-grandense tem tornado o trabalho agradável para todos. “Estamos realizando um serviço de excelência, que deixará Campo Grande ainda mais bela”, garante. Até quinta-feira, dia 15, 2.900 pontos da capital já haviam recebido as novas luminárias.

Veja Também

Internos concluem curso de Corte e Costura no interior
Governo Federal reconhece estado de emergência em 184 cidades
Ex-servidores do HU viram réus por desvio de dinheiro
Nova procuradora toma posse no MPT-MS
Mortos em acidente na BR são identificados
Falha em ônibus atingido por trem está sendo investigada
Projeto proíbe cobrança para religação de água e luz em caso de corte
TCU investigará se cobrança de bagagem barateou passagens aéreas
Ministério condena assédio de brasileiros a mulher na Rússia
Seminário discutirá correção monetária dos valores das modalidades licitatórias