Menu
14 de dezembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega Banner Pátio Central - Natal
Moda

Mulheres com deficiência são as mais belas modelos

Estudantes de moda levam visibilidade e autoestima a deficientes no 2° Desfile de Moda Inclusiva

6 Dez2018Luany Mônaco - Especial para o Diário Digital14h14
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Evento pensado para potencializar a exaltação do protagonismo, visibilidade e autoestima das mulheres com deficiências, o 2° Desfile de Moda Inclusiva de Mato Grosso do Sul leva crianças e adultos deficientes para a passarela, lá elas exibem e sentem toda a sua importância ao ver uma coleção de roupas feita todinha para elas, o que não deveria ser tão incomum. Peças montadas, costuradas e adaptadas especialmente para a necessidade e conforto de cada mulher são confeccionadas por alunas do curso de Design de Moda da Uniderp.

“Explorando as belezas de Campo Grande”, este é o tema no qual as futuras designers deveriam ser inspirar, criar e adaptar de acordo com o desejo de sua modelo. O projeto de inclusão faz parte da disciplina de Ergonomia do curso de Design de Moda, onde cada dupla deve vestir confortável e adequadamente sua manequim. As garotas que participam do desfile fazem parte da Amdef, a primeira e única Associação das Mulheres com Deficiência de todo o Brasil.

Modelo e criadoras passaram três meses juntas discutindo e melhorando a cada dia a invenção feita por cada dupla. Todo trabalho foi feito inspirado em peças de roupas em que a manequim se sentisse muito bem. Ajustes e adaptações foram alcançados de acordo com os gostos da modelo que participou diretamente na construção de seu conjunto de roupas.

Dayene Ibrahim e Elizângela Dantas são uma das duplas que confeccionaram roupas para o desfile inclusivo, a modelo escolhida é a Elba Fernandes de Andrade, que tem paralisia cerebral por conta da falta de oxigênio na hora do parto, a jovem depende de uma cadeira de rodas para locomoção e ainda tem uma má formação na coluna, causada por postura incorreta. “Sempre tive bastante dificuldade em encontrar alguma roupa que não precisasse de ajuste, foram raras as vezes que comprei uma roupa e não precisou de ajuste”, conta Elba.

Para que Elba se sentisse esplêndida Dayene e Elizângela criaram peças com o conforto de um tecido de fibra natural com incremento de sarja e elastano, com a alta durabilidade, conforto e frescura de uma malha 100% algodão fio 30, além de todas as adaptações desejadas pela modelo.

Além de modelo, Elba promove e organiza eventos beneficentes e é escritora. A jovem já redigiu dois romances e promoveu duas solenidades beneficentes em prol do projeto Siriema, que visa retirar crianças das ruas por meio de atividades como o artesanato. Agradecida, Elba diz que o trabalho de proporcionar finais de semana diferentes e inclusivos que mostram uma visão melhorada da pessoa com deficiência deveria ser realizado frequentemente, “devemos nos mostrar capazes, começando de dentro de casa” finaliza a modelo que ainda confessou estar se sentindo a própria Gisele Bündchen.

Toda coleção será apresentada após performance do grupo AMDEF Dance, formado por bailarinas de dança do ventre com deficiência. Além da exposição “Cidade Morena”, da artista plástica Lucia Pereira. 

Serviço

Data: 08/12/2018

Hora: 18h

Local: Shopping Norte Sul Plaza (ao lado da decoração principal de Natal)

Endereço: Av. Pres. Ernesto Geisel, 2300 - Jardim Joquei Club, Campo Grande – MS.

Veja Também