Menu
21 de outubro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner CCR-MS Via
Campo Grande

Motoristas de aplicativos reivindicam melhorias

Entre as reivindicações está baixar a porcentagem da UBER de 25% para 20%

13 Jan2018Mariel Coelho, em especial para o Diário Digital.12h00
Presidente da APPLIC-MS, Paulo Pinheiro. (Foto: Marco Miatelo)
  • Presidente da APPLIC-MS, Paulo Pinheiro. (Foto: Marco Miatelo)

Motoristas de Uber se reuniram nos altos da Avenida Afonso Pena em frente à Cidade do Natal, na manhã deste sábado, 13 de janeiro, para reivindicar melhores condições de trabalho para os motoristas.

De acordo com o Presidente da Associação dos Parceiros em Aplicativos de Transporte de Passageiros e de Motoristas Autônomos de Mato Grosso do Sul (APPLIC-MS), Paulo Pinheiro, a categoria quer melhorar método de avaliação dos motoristas, o aumento das tarifas atuais, e tentar baixar a porcentagem da Uber que hoje é de 25% para 20%.

“Todos nós esperamos que através destas reivindicações tenhamos os nossos pedidos atendidos. Queremos que haja um aumento nas tarifas que hoje é de R$ 2,50 a partida inicial, R$ 015 o minuto rodado e R$ 1,10 O km rodado, e isso tem que mudar porque desde que a Uber chegou a Campo Grande não ouve aumento” disse Paulo.

Ainda segundo Paulo a categoria precisa de mais incentivos “Nós precisamos de mais incentivos fiscais e do governo. Queremos que o prefeito regularize os motoristas nos moldes de São Paulo, queremos um seguro de vida, uma aposentadoria entre outras melhorias” concluiu o presidente.

Veja Também

Ação pela Paz terá serviços gratuitos na praça Belmar Fidalgo
Três Lagoas promete maior rigor contra descarte irregular de lixo
UFMS faz campanha divertida pela preservação de livros
Samu de Dourados alerta para ‘fake news’ sobre emprego
Corumbá oferece 150 exames de mamografia para livre demanda até dia 31
UFGD repudia símbolo nazista em cartaz da universidade
Alunos da Reme premiados em concurso de educação ambiental
Cartilha do Jovem Cinsumidor ganha 2ª edição
Anvisa aprova novos tratamentos contra o câncer
Estudo relaciona 12% das mortes por câncer de mama ao sedentarismo