Menu
19 de novembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner - AL/MS - Campanha Mudanças
Saúde Pública

"Tia Eva" teme ficar sem UBSF

Após 15 anos de atendimentos o possível fechamento assusta moradores

10 Nov2018Especial para o Diário Digital - Suellen Lands07h00
(Foto: Luciano Muta)
  • Moradores podem ter que andar mais de 2 km para receber atendimento
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)

Temendo o fim da unidade de saúde os moradores da Comunidade Tia Eva, umas das mais antigas de Campo Grande estão se mobilizando para impedir o fechamento da unidade. A UBSF São Benedito foi inaugurada em 2003, na época a Prefeitura alugou a casa para o seu funcionamento de modo temporário, o tempo foi passando e já faz 15 anos que ela funciona no mesmo lugar.

O contrato de locação do imóvel vence no mês de dezembro e segundo os moradores a Secretaria Municipal de Saúde não vai renovar o contrato, e todos os pacientes que são atendidos na unidade terão que buscar atendimento na UBSF do Jardim Paradiso, que fica a 2 km de distância.

O Presidente da Associação dos Descendentes Quilombolas da Comunidade Tia Eva Eurides Antônio da Silva disse que “O posto de saúde faz cerca de 3.000 mil atendimentos por mês e todos os moradores não querem que a unidade seja fechada, pois atende sete bairros do entorno, e também por conta da facilidade e comodidade para os idosos, gestantes e pais com crianças pequenas”. Ainda de acordo com ele o posto precisa de uma reforma se for preciso a comunidade está disposta a fazer um bingo para arrecadar fundos para realizar as mudanças necessárias.  

Lucimeire Soares Rocha Figueiredo Presidente da  Associação de Moradores do Bairro disse que, “O aluguel custa R$150 mil reais por ano e que o proprietário está disposto a vender o imóvel, mas a prefeitura não manifesta nenhum desejo em efetuar a compra”.

Dona Jeronima Borges da Silva de 84 anos, mora no bairro há 20 anos antes mesmo da UBSF existir, logo quando mudou para o bairro era mais jovem e era atendida no posto do Coronel Antonino. Com a chegada do posto São Benedito tudo ficou mais fácil. Hoje, é idosa tem problemas no joelho, artrite, artrose e pressão alta, sempre que tem mal estar, vai ao postinho e é muito bem atendida. Ela também afirma “Com a mudança  para ir na nova unidade o caminho será muito longo e doloroso, pois tenho problemas nos joelhos. Agora peço à Deus que o nosso postinho São Benedito não feche”.

Até o fechamento desta matéria não obtivemos retorno da Prefeitura.

Veja Também

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula
MP aciona Justiça para que loteamento tenha estrutura adequada
Pessoas que lutam contra o racismo receberão comenda na ALMS
Medida Provisória redistribui arrecadação de loterias no Brasil
Região sul do Estado terá queda de temperatura
Associação Médica critica 'retaliação' cubana ao Mais Médicos
EUA elogiam postura de Bolsonaro na questão do Mais Médicos
Laboratório de Zoologia adquire réplicas de espécies pré-históricas
Simpósio vai reunir 17 renomados profissionais da Saúde
Tribunal decreta luto pela morte de desembargador