Campo Grande •17 de Dezembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner 1 Governo do estado - Campanha Mudança educação

Da redação | Sexta, 11 de Agosto de 2017 - 19h11Moradores de Porto Morrinho recebem atendimento do Povo das ÁguasMédico, dentistas, cabelereira, veterinária e pedagogos integraram equipe

(Foto: Clóvis Neto/Prefeitura de Corumbá)

A terceira ação do Programa Social Povo das Águas encerrou os atendimentos na região do baixo pantanal na quinta-feira, 10 de agosto. Os últimos moradores a serem atendidos foram os do Porto Morrinho e os serviços foram prestados no Hotel da Odila. A embarcação com a equipe multidisciplinar composta por 23 pessoas chegou a Corumbá na madrugada desta sexta-feira, dia 11. Profissionais como médico, dentistas, cabelereira, veterinária, pedagogos, assistentes sociais, psicólogas, jornalista, agente de endemias, enfermeiras, técnicos de enfermagem, vacinadores, agente de defesa civil e agrônomo integraram a equipe.
 
Maicon Borges Alves, de 34 anos, mora em Porto Morrinho desde 1994, quando deixou sua cidade natal, Ladário. “Resolvi morar aqui porque meu pai trabalhava aqui e me passou muito conhecimento sobre como era a vida nessa região e como se trabalhava com pesca e turismo”, contou o morador que estava aproveitando para cortar o cabelo.

Ele sempre espera pela equipe do Povo das Águas para deixar a saúde em dia e conseguir outros benefícios. “Somos sempre bem atendidos”, afirmou Maicon. Sua esposa e seus três filhos também estavam no local para receber atendimento, especialmente com o dentista. “Acho importante o programa por causa da distância que temos da cidade e pela situação das doenças que existem hoje em dia. É muito bem-vinda a ajuda do Povo das Águas”, disse o morador.
 
Morando há seis anos com esposo e filha em Porto Morrinho, Rosemary Lopes de Carvalho trabalha como diarista e foi em busca de consulta médica e odontológica para ela e a filha. “Fica difícil ir para Corumbá. Com o Povo das Águas a gente já pega remédio, anticoncepcional, tudo aqui. O programa é maravilhoso, eles são muito carinhosos com as crianças, atenciosos com a gente, é muito bom”, afirmou a beneficiada que conseguiu também cesta básica. “Se não existisse o programa ia ser complicado, mais difícil. Eles nos ajudam bastante”, completou.
 
Já o senhor Lionei Francisco Pereira, de 65 anos, estava preocupado em tomar vacina. “Vim tomar vacina contra a gripe porque aqui a gente precisa. Acordamos cedo, saímos muito cedo e trabalhamos com turismo, não podemos pegar gripe”, disse o idoso que aproveitou para levar medicamentos, realizar consultas médica e odontológica.

“A gente sempre vai ao dentista quando o Povo das Águas passa por aqui. O programa é importante porque muitos não têm casa em Corumbá, então não têm como ir para lá e ficar lá. Às vezes, quando as crianças ficam doentes, é muito difícil. Quando a gente precisa chamar um taxi para ir à cidade, sai por uns 150 reais”, relatou Lionei.

Dona Ketlene Barbosa Garcia foi ao encontro da equipe multidisciplinar em busca de atendimento médico para ela e sua filha, além de pegar medicamentos. “Da última vez que precisei de médico, tive que ir em Corumbá. É bem mais difícil”, afirmou Ketlene que há um ano mora em Porto Morrinho.
 
“Nascido e criado” há 55 anos no local, Orlando da Cruz aproveitou para saber como estava a saúde. “Eu acho um programa muito bom porque vem tudo o que a gente precisa porque os ribeirinhos precisam disso. É mais fácil eles virem aqui do que a gente ir lá porque não é todo mundo que tem condições de ir para a cidade”, disse o pescador. “Aproveitamos para ver como está a saúde porque a gente trabalha há muitos anos e a coluna da gente já não aguenta. Se eu tivesse que ir até a cidade, eu ia gastar cerca de duzentos reais só com despesa de condução para receber atendimento médico”, afirmou.
 
Os beneficiados com o programa também receberam palestras com a veterinária Walkíria Arruda, chefe do CCZ, sobre como tratar adequadamente fezes de animais e também sobre raiva. Vacinação antirrábica foi aplicada em animais domésticos. Assistente social do CRAM realizou palestra sobre a Lei Maria da Penha, no contexto da campanha “Agosto Lilás” e crianças contaram com as brincadeiras do setor de Educação. Produtos do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) foram distribuídos, além de cestas básicas e lonas.

Veja Também
Feira Central da Capital coleta histórias de frequentadores
Fim da neutralidade nos EUA pode ter impactos na internet no Brasil
Projeto telecolaborativo que aproxima Brasil e Canadá é desenvolvido na Uems
Novo voo internacional é opção até 40% mais barata para MS
Contribuintes têm mais dois dias para pagar dívidas
Confira escala médica da rede pública para este domingo
Mega-Sena acumula e pode pagar mais de R$ 43 milhões na 3ªfeira
Domingo, 17 de Dezembro de 2017 - 07h19Previsão de pancadas de chuva na tarde deste domingo Na Capital, temperaturas ficam entre 22º e 30ºC, aponta Inmet
Sicredi Centro-Sul MS realiza doação para o Lar do Idoso de Dourados
Deputado destaca desenvolvimento econômico com chegada de recursos para Três Lagoas
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento