Menu
22 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Trabalho

Ministério do Trabalho fiscaliza postos de combustíveis

Objetivo é verificar direitos trabalhistas, questões de segurança e medicina do trabalho

7 Set2017Da redação08h00

O Ministério do Trabalho e Emprego está fiscalizando postos de combustíveis de Campo Grande para verificar, entre outras questões, não só o cumprimento dos direitos trabalhistas de frentistas e demais empregados, bem como as questões de segurança e medicina do trabalho. Os cuidados com o benzeno, componente cancerígeno que está presente em todos os combustíveis é uma das preocupações e atuação dos auditores fiscais.

A multa para aqueles estabelecimentos que estiverem em desacordo com as legislações pode chegar até a R$ 8 mil por infração. “Nossa fiscalização é de rotina e vamos verificar as condições de todos os postos de combustíveis de Campo Grande”, afirmou o auditor fiscal Kléber Silva, da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Mato Grosso do Sul.

Os trabalhos estão sendo realizados simultaneamente em Campo Grande e Dourados, informa Kleber Silva. Depois, segundo ele, os fiscais vão fazer as demais cidades do Estado, sempre verificando o cumprimento de registro em carteira, recolhimento dos direitos trabalhistas e também a questão de saúde do trabalhador.

Na tarde desta quarta-feira, um posto da Petrobras na Avenida Afonso Pena recebeu a visita de quatro auditores fiscais que conversaram com trabalhadores, diretores da empresa e verificaram também documentos a respeito das questões trabalhistas da empresa. As próximas visitas serão feitas das mesma forma, de surpresa nos estabelecimentos.

O Sinpospetro/MS (Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Mato Grosso do Sul) aplaude esse trabalho do MTE. “Nós não só apoiamos como aplaudimos, pois somente a fiscalização rigorosa dos auditores pode fazer com que todas as empresas cumpram com suas obrigações trabalhistas e de saúde e segurança do trabalhador”, afirma José Hélio da Silva, presidente do sindicato.

A diretoria do Sinpospetro/MS pede que a fiscalização seja de fato rotineira e constante nesse mercado de trabalho, principalmente pelo fato de ser uma atividade de alto risco à saúde não só dos trabalhadores nos postos como também dos próprios consumidores.

Gilson da Silva Sá, secretário adjunto de saúde, segurança e medicina do trabalho na Fenepospetro (federação nacional dos trabalhadores em postos de combustíveis) afirma que nem todos os empresários, donos de postos, cumprem com as leis federais relativas à saúde do trabalhador. “Nós, sindicalistas é que temos que ficar constantemente brigando para que o trabalhador seja protegido, quando a empresa deveria fazer normalmente porque é lei”, critica.

 

Veja Também

Temperatura não passa de 25°
Índios de Dourados recebem equipamentos para a agricultura
Denatran suspende pagamento de multas com cartão de crédito ou débito
Projeto estabelece isenção de carência em planos de saúde
MPF denuncia sete por fraude em licitação no aeroporo da Capital
Procon recolhe produtos vencidos e abre processo contra rede de mercados
Pedidos de aposentadoria por telefone e internet
Trânsito CCR MSVia destaca operações pare-e-siga na BR-163/MS Em caso de chuvas, as obras serão suspensas
Nacional Mais 21 serviços no INSS poderão ser agendados pela internet Agendamento vai começar a partir de quinta-feira, 24 de maio
Taxa de inscrição no Enem deve ser paga até quarta-feira