Campo Grande •21 de Novembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner Governo - Refis

Agência Brasil | Quarta, 6 de Setembro de 2017 - 16h12Ministério da Saúde declara fim do surto de febre amarela no PaísDesde junho, quando foi confirmado o último caso no Espírito Santo, Brasil não tem registros da doença

(Foto: Divulgação)

O Ministério da Saúde anunciou hoje (6) o fim do surto de febre amarela no país. Desde junho, quando foi confirmado o último caso no Espírito Santo, o Brasil não tem registros da doença. Segundo a pasta, a prevalência da doença é nos meses de calor, entre dezembro e abril, e, com o fim dessa sazonalidade, a expectativa é que o número de casos diminua.

De acordo com o último boletim epidemiológico, desde o início do surto, em 1º de dezembro do ano passado, até 1º de agosto deste ano, foram confirmados 777 casos e 261 óbitos por febre amarela. Outros 2.270 casos foram descartados e 213 permanecem em investigação. Além disso, 304 casos foram considerados inconclusivos.

A Região Sudeste concentrou a maioria dos casos, com 764 confirmações, seguida da Região Norte (10) e Centro-Oeste (3). As regiões Sul e Nordeste não tiveram confirmações.

Vacinação - Mesmo com a interrupção da transmissão da febre amarela, o Ministério da Saúde ressalta a importância de manter as ações de prevenção e de ampliar a cobertura da imunização contra a febre amarela para prevenir novos casos da doença no próximo verão. O Brasil adota o esquema de apenas uma dose da vacina durante toda a vida, de acordo com recomendações da Organização Mundial da Saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação é a medida mais importante para prevenção e controle da doença, com eficácia de 95% a 99%. A vacinação para febre amarela é ofertada no esquema de vacinas de rotina em 20 estados: Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Além dessas áreas com recomendação, neste momento, também está sendo vacinada a população do Espírito Santo.

O Ministério da Saúde enviou aos estados 36,7 milhões de doses da vacina ao longo deste ano, tanto para rotina quanto para reforço nos estados afetados pelo surto.

Somente para Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Bahia foram distribuídas 27,8 milhões de doses extras. A vacinação foi intensificada em 1.121 municípios desses cinco estados. Atualmente, a cobertura vacinal nessas localidades está em 60,3%. Apenas 205 cidades estão com a cobertura vacinal ideal, igual ou superior a 95%.

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a situação está sob controle, mas é preciso aumentar a cobertura vacinal nas áreas de recomendação. “É preciso que as equipes façam a busca ativa, especialmente das pessoas que estão na zona rural, que são as mais suscetíveis a pegar febre amarela. E também façam o esforço, se o município é grande, tem que fazer campanha de vacinação na mídia, se o município é menor, fazer um esforça de ir de casa em casa para poder alcançar a cobertura”, explicou.

Surtos da doença - Nos cinco estados onde a vacinação foi reforçada, houve o registro de epizootias, ou seja, morte e adoecimento de macacos. Durante o período do surto, foram notificadas ao Ministério da Saúde, 5.364 epizootias, das quais 1.412 foram confirmadas para febre amarela. Elas são consideradas importantes indícios para detectar precocemente a circulação do vírus em determinada região e direcionar as ações no sentido de eliminar o mosquito Aedes aegypti, reduzindo o risco de urbanização da doença.

Segundo o ministro, a febre amarela se comporta em surtos que são cíclicos, a cada seis ou sete anos. O último surto registrado no país foi em 2009. A expectativa, então, é que no próximo verão não haja surto. O governo está inaugurando uma nova fábrica para a produção de vacinas que, a partir do início de 2018, produzirá 10 milhões de doses de vacina para febre amarela por mês. “Poderemos tomar a decisão de cobrir novas áreas porque teremos a capacidade de entregar as vacinas”, destacou.

O Ministério da Saúde também decidiu incluir a vacina para febre amarela no Calendário Nacional de Vacinação a partir de 2018, em todo o país, para crianças de noves meses. Entretanto, ainda não está definida a estratégia que será adotada, se em rotina ou em campanhas de multivacinação. O país também está preparado para fazer o fracionamento da vacina, caso haja um grande surto em áreas de alta densidade populacional.

Sintomas - A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus, que pode levar o indivíduo infectado à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente. Os sinais e sintomas mais comuns da doença são: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos que duram, em média, três dias. Nas formas mais graves da doença, podem ocorrer icterícia, insuficiências hepática e renal, manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de uma pessoa infectada para outra pessoa.

Veja Também
Anvisa aprova novo medicamento para tratar câncer de bexiga
Empresa garimpa talentos em comunidade negra na Capital
TSE lança canal no Twitter para tirar dúvidas do eleitor
Operação combate publicidade irregular em Três Lagoas
Investigação descarta febre amarela em macaco
Prazo para renovação do Fies é prorrogado para 30 de novembro
Audiência debate mobilidade da Av. Bandeirantes e Rua Brilhante
Recapeamento interdita trechos da Avenida Mato Grosso
Segunda, 20 de Novembro de 2017 - 11h20Prefeitura convoca clínicos e especialistas para reforçar atendimentos de urgência Edital de convocação nº 40/2017 foi publicado na edição desta segunda-feira (20)
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento