Menu
27 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Mato Grosso do Sul

Ministério assina contratos de outorga e MS caminha para liderar produção de pescado

Só a Tilabras tem projeto para produzir 100 mil toneladas por ano de pescado, o que já supera toda a produção do Paraná

16 Jun2017Da redação10h22

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, assinou com diretores das empresas GeneSeas e Tilabras os contratos de outorga de uso das águas dos lagos das usinas de Jupiá e Ilha Solteira, na divisa com São Paulo, para criação de tilápia em tanques-rede. A medida é capaz de redimensionar o setor de aquacultura e elevar Mato Grosso do Sul ao topo do ranking nacional da atividade. Só a Tilabras tem projeto para produzir 100 mil toneladas por ano de pescado, o que já supera toda a produção do Paraná – o líder atual.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, representou o Governo do Estado no ato de assinatura dos contratos, na semana passada, em Brasília. Ele elogiou a maneira eficiente com que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria Especial de Pesca, atuou para agilizar o processo de outorga que viabilizou a implantação desses dois mega projetos. “Representa o esforço do governo para diversificar nossa matriz econômica e incentivar o desenvolvimento”, frisou.

O presidente da Tilabras, Nicolas Landolt, agradeceu o apoio “fantástico” do Governo do Estado e prometeu retribuir com a geração de empregos. Serão mais de 3 mil postos de trabalho na totalidade do projeto, assegurou o empresário. Mato Grosso do Sul terá o maior frigorífico de tilápia do mundo, com investimento de R$ 150 milhões, em Silvíria.

A atuação do governo estadual em prol do projeto foi decisiva quando da visita do ministro Blairo Maggi a Campo Grande, no dia 3 de abril. O governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck reforçaram a importância e a urgência da outorga do uso das águas dos reservatórios para viabilizar a criação de tilápias. O ministro prometeu pressa e cumpriu. A licitação foi concluída em maio.

Juntas, GeneSeas e Tilabras vão pagar outorga de R$ 2,14 milhões pelo direito de uso dos lagos por 20 anos. Em contrapartida poderão instalar 554 hectares de tanques-rede, ambiente suficiente para produzir até 120 mil toneladas ao ano de tilápia. Segundo o Anuário Brasileiro de Piscicultura elaborado pela Associação Brasileira de Piscicultura, em 2016 Mato Grosso do Sul figurava na nona posição com 24.150 toneladas/ano de pescado. Pode saltar para a primeira posição já no próximo ano.

A GeneSeas já tem 213 tanques-redes com 1.000 toneladas de peixes nas diferentes fases do cultivo. Chegou a projetar o processamento de até 35 toneladas/dia de filé na unidade de Aparecida do Taboado, logo que anunciou a ampliação do frigorífico, em abril de 2016. Após um ano, com a crescente demanda, a meta foi superada. O frigorífico já processa 45 mil toneladas por dia, e o jeito foi “importar” pescado de São Paulo para suprir a demanda.

No ato de assinatura dos contratos, em Brasília, estavam presentes ainda os senadores por Mato Grosso do Sul Valdemir Moka e Simone Tebet, os deputados federais Geraldo Resende e Luiz Henrique Mandetta, o prefeito de Selvíria, Fernando dos Santos, entre outras autoridades e empresários. (Com Notícias MS)

Veja Também

Vítima de acidente, engenheira morre em hospital
Prefeitura da Capital afirma ter suprido déficit de medicamentos
23° Encontro de Estudantes de Relações Internacionais será na Capital
Vereadora solicita construção de UBS para bairros da Capital
Usina indenizará vítima de atropelamento em rodovia
Câmeras flagraram atropelamento fatal
Vacinação contra gripe na Praça Ary Coelho
Vereador apresenta projeto a supermercados para reaproveitar alimentos
TJ permite que candidata continue em concurso para escrivã de Polícia
População retira kit gratuito para sinal digital