Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Segurança Pública

Militares vão cruzar os braços por 24h em MS

Paralisação terá início na manhã desta sexta, quando militares vão doar sangue

30 Ago2017Da redação16h10
(Foto: Divulgação)
  • Edmar Soares da Silva, presidente da ACS, concedeu entrevista a TV MS Record na qual explicou os motivos do aquartelamento
  • (Foto: Divulgação)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Policiais militares e bombeiros de Mato Grosso do Sul decidirem, nesta terça-feira (29), por um aquartelamento de 24 horas. A paralisação terá início na manhã desta sexta-feira (01), quando os militares irão até o Hemosul em uma campanha de doação de sangue, seguindo até a manhã do dia seguinte. O aquartelamento é um protesto à política salarial do governo estadual, segundo a categoria.

Reuniões foram realizadas nas regionais da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul (ACS) em todo o Estado. Das 13 assembleias realizadas, a maioria optou por parar durante um dia inteiro, incluindo na Capital e em Dourados, cidades que concentram a maior parte do efetivo da PM e dos bombeiros.

“Vamos parar por 24 horas. A princípio, só por um dia, pois temos que proteger a sociedade e não podemos deixá-la a mercê da vagabundagem. Quero que o Governo nos chame amanhã e dê tratamento igual. Na outra semana, teremos novas deliberações”, afirmou Edmar Soares da Silva, presidente da entidade.

Governo - O governo do Estado, por sua vez, informou que está acompanhado a situação, mas que só se manifestará oficialmente sobre o assunto na sexta-feira, se a paralisação de fato se confirmar.

Veja Também

Prefeitura entrega cobertores para famílias carentes da Capital
Seja Digital intensifica agendamentos nos CRAS  a partir de segunda
Entidades de classe defendem Plano Diretor da Capital
Comissão aprova vacinação obrigatória e gratuita contra leishmaniose
Curso orienta sobre alimentação e não desperdício de alimentos
Limpeza em lagoa resulta na retirada de 50 sacos de lixo
Incêndio destrói depósito de recicláveis
Portugal libera uso da maconha para fins medicinais
Médico lança 'Dicionário de Saúde e Segurança do Trabalhador'
Obras e projetos anunciados para a Capital