Campo Grande •19 de Janeiro de 2018  • Ano 7
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner águas guariroba - campanha dezembro

Valdelice Bonifácio e Mariel Coelho, especial para o Diário Digital | Terça, 20 de Junho de 2017 - 19h00Médicos da Capital confirmam greve na rede públicaParalisação começará logo após completar 72 horas da notificação à prefeitura

  
Direitoria do SinMed concedeu entrevista coletiva para explicar as motivações da greve (Foto: Marco Miatelo)
  • Direitoria do SinMed concedeu entrevista coletiva para explicar as motivações da greve
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Os médicos da rede pública de saúde de Campo Grande confirmaram nesta terça-feira, 20 de junho, a greve da categoria por tempo indeterminado. A proposta de reajuste salarial encaminhada pela prefeitura da Capital foi rejeitada em assembleia. A paralisação começará tão logo completem as 72 horas da notificação oficial à prefeitura da Capital e outros órgãos de saúde.

"A greve começará em um dia da semana. Estamos apenas esperando o cumprimento do prazo para começar a paralisação", disse o presidente do Sindicato dos Médicos (Sinmed) Flávio Freitas Barbosa, durante entrevista coletiva concedida na sede da entidade, na Capital. Conforme o dirigente, o setor jurídico do sindicato está cuidando da notificação à prefeitura e demais órgãos de saúde para evitar questionamentos sobre a legalidade da greve.

O município propôs 6% de reajuste no valor dos plantões e 30% no valor da gratificação por desempenho. Além da questão salarial, a falta de estrutura de trabalho também foi levada em conta pelos profissionais durante assembleia que decidiu pela paralisação, realizada na noite de segunda-feira, 19. “Não foi apresentada proposta de reajuste em cima do salário-base e sim em cima de penduricalhos, que não existem por força de lei, mas sim por decretos que a qualquer momento podem cair”, justificou o presidente do SinMed.

A categoria preferia excluir as gratificações e mudar o salário-base para plantonista de 12 horas, passando de R$ 2,5 mil para R$ 4.137,00. Além disso, apenas 12% dos médicos recebem a gratificação por desempenho que o município sugeriu reajustar em 30%.

Conforme o presidente do Sinmed, as negociações começaram em janeiro, sendo documentada em março, sem qualquer evolução no que diz respeito aos salários. De acordo com o dirigente, o salário-base da categoria é o mesmo desde março de 2014. "Estamos há 1,1 mil dias sem nada de aumento", disse.

Outra queixa é que as condições de trabalho também não melhoraram. Durante a entrevista coletiva, foi divulgada uma lista de medicamentos que, segundo os médicos, está em falta na rede pública da Capital. “Dos 12 antibióticos necessários à pediatria, por exemplo, só tem um”, relatou.

Segundo Flávio Freitas, por ser considerado um serviço essencial, é necessário manter um contingente de 30% dos profissionais trabalhando nas unidades de saúde o que será respeitado. Cerca de 800 médicos atendem pela rede pública em Campo Grande.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa da prefeitura, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Veja Também
Concurso para escolha do prato típico termina nesta domingo
No dia do cabeleireiro, corte foi presente à população
Em Corumbá, uso do fumacê terá início em fevereiro
TRE realiza cadastro biométrico no prédio da FIEMS
Investigação sobre atropelamento em praia indica homicídio culposo
Tarifa de ônibus em Dourados sobe para R$ 3,30
No CCZ, 37 cães e 24 gatos estão à espera de um lar
MS teve último caso de febre amarela urbana em 1942, diz governo
Sexta, 19 de Janeiro de 2018 - 13h09Saiba onde CCR MSVia realiza obras e serviços a BR-163/MS Em caso de chuvas as obras poderão ser suspensas, retornando tão logo elas cessem
Congresso Brasileiro de Olericultura será em Bonito
Square notícia uci
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2018 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento