Campo Grande •22 de Novembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo - Governo Presente - Matrícula

Da redação | Segunda, 6 de Fevereiro de 2017 - 09h43Mato Grosso do Sul recebeu 89% de investimentos em pesquisas para o SUSAo todo, o Ministério da Saúde destinou mais de R$ 327 milhões para financiar estudos epidemiológicos, vetoriais e de vigilância em saúde em várias partes do país

Ministério da Saúde garantiu 89% dos recursos para pesquisas em saúde do Mato Grosso do Sul, nos últimos 15 anos. Os repasses foram feitos por meio do Programa Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde (PPSUS). Em Mato Grosso do Sul, foram financiadas 112 pesquisas de 15 instituições do estado. Ao todo, foram destinados mais de R$ 3,39 milhões para subsidiar estudos epidemiológicos, vetoriais e de vigilância em saúde, por exemplo. Além do Mato Grosso do Sul, outros nove estados do país - Amapá, Acre, Tocantins, Sergipe, Alagoas, Roraima, Maranhão, Piauí e Espírito Santo - recebem grande parte de recursos do PPSUS, para o financiamento de pesquisas. 

Desde a sua criação, em 2002, até o ano passado, o programa investiu em 3.055 projetos ao custo total de R$ 327,6 milhões. O programa, que tem edições bianuais, previu na edição de 2015-2016 o valor de R$ 72,6 milhões de reais, sendo R$ 44,4 milhões do Ministério e R$ 28,2 milhões dos parceiros estaduais.

Esses recursos foram úteis ao financiamento de pesquisas importantes para a população brasileira. Um exemplo disso é o desenvolvimento de uma nova fórmula de medicamento para tratamento de doença de Chagas, diminuindo a quantidade necessária de comprimidos de três ao dia para apenas um. A pesquisa vem sendo desenvolvida na Universidade Federal de Pernambuco, no campus de Recife. Outro exemplo é a pesquisa com extrato de própolis para a cicatrização de lesões na pele causadas por leishmaniose, da Universidade Federal de Alagoas, que pode desenvolver produtos eficientes e de baixo custo. Os dois projetos estão em fase de estudos com seres humanos.

Presente em todo o Brasil, o PPSUS consegue, ao descentralizar o investimento em pesquisa, distribuir melhor os recursos de fomento, priorizar as demandas locais e beneficiar os pesquisadores e o desenvolvimento científico de todas as unidades federativas do Brasil. O avanço do programa contribui para a redução das desigualdades regionais e para a consolidação de uma cultura científica nacional.

O programa realiza, também, oficinas de prioridades nos estados para definir que linhas de pesquisa serão contempladas nos editais de fomento, para atender melhor às necessidades e aos problemas de saúde de cada estado. Está nessa etapa preliminar o andamento da edição 2015-2016 do programa. Vinte estados firmaram convênio com o CNPq para lançar seus editais. 

PPSUS - O Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) é gerido de forma compartilhada entre o governo federal e estadual. O Ministério da Saúde é o coordenador nacional do programa. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é responsável pelo gerenciamento administrativo. Na esfera estadual, atuam em conjunto as Fundações de Amparo e/ou Apoio à Pesquisa (FAP), as Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e as Secretarias Estaduais de Ciência e Tecnologia (SECT). 

Para receber recursos do programa, os projetos dos pesquisadores passam por três fases. Na primeira, o Ministério da Saúde, o CNPq, as fundações estaduais de apoio à pesquisa (FAP) e as Secretarias Estaduais de Saúde e de Ciência e Tecnologia (SES e SECT) firmam acordos de repasses, realizam oficinas para definição de prioridades de pesquisa e elaboram chamadas públicas por unidade federativa. Na segunda etapa, os projetos são avaliados e ocorrem as contratações. A terceira fase é de acompanhamento e avaliação das pesquisas.

Veja Também
Anatel registra queda de 5,7% nas reclamações contra empresas de telecomunicação
Inscrições para residências Médica e Multiprofissional do HU-UFGD encerram-se sexta-feira
Submarino desaparecido está em fase
Carreta da Justiça realiza 1º Júri da história da comarca de Figueirão
Parada LGBT será realizada neste sábado na Capital
Quarta, 22 de Novembro de 2017 - 12h54Atenção motoristas: BR-163/MS passa por obras da CCR MSVia Em caso de chuva, as obras poderão ser interrompidas
Mega-Sena acumulada pode pagar prêmio de R$ 50 milhões nesta quarta
Programa Saúde do Homem e da Mulher Rural do Senar chega a Figueirão
Governo rescinde contrato com empresa que iniciou Aquário do Pantanal
Quarta, 22 de Novembro de 2017 - 11h06Matrícula Online 2018 da REME de Três Lagoas começa a funcionar nesta quarta-feira Lançamento oficial do sistema será na sexta-feira
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
DothShop
Rec banner - Patio central
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento