Menu
24 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Natureza

Mato Grosso do Sul foi atingido por 3,7 milhões de raios em 2016

Incidência de raios foi maior durante os primeiros meses e final do ano

5 Jan2017Da redação22h00

Cerca de 3.770.576 descargas atmosféricas (raios)atingiram Mato Grosso do Sul no período de janeiro a dezembro de 2016. Os dados são do site Raios Online do Grupo STORM-T/IAG da Universidade de São Paulo, revelam que foram detectadas. Durante o ano de 2016 a incidência de raios foi maior durante os primeiros meses e final do ano com pico no mês de março de cerca de 810.579 raios.

Esse comportamento é decorrente a estação do ano (verão), pois durante esse período há grande disponibilidade de umidade na atmosfera e altas temperaturas que favorecem a formação de nuvens do tipo cumulonimbus – que são nuvens de tempestade e tempo severo. Durante o período de inverno a quantidade de raios diminui devido a um sistema de alta pressão que abrange grande parte do país nessa época do ano, inibindo a formação de nuvens, e consequentemente o número de raios caem consideravelmente.

Em particular, no mês de agosto de 2016 os números foram  altos se comparados aos outros meses que compões o período de seca (junho, julho, agosto e setembro). Os valores altos de quantidade de raios ocorreram devido à entrada de frentes frias no final daquele mês em Mato Grosso do Sul que possibilitou o aumento das chuvas com formação de nuvens carregadas eletricamente.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) o verão é uma estação marcada pela ocorrência de chuvas em forma de pancadas, temporais com possibilidade de granizo, ventos fortes e elevação das temperaturas.

O verão iniciou com a atuação de formação de sistemas de baixa pressão atmosférica, que geralmente estão associados à ocorrência de chuvas regulares e intensas que poderão estar acompanhadas de raios.

O prognóstico para o sul do estado do Mato Grosso do Sul indica maior probabilidade de chuvas irregulares, e abaixo da normal climatológica para o trimestre (janeiro, fevereiro e março) e já nas demais regiões a quantidade de chuvas devem seguir a média climatológica sob condições de neutralidade. Em outras palavras, em grande parte do Estado, o mês de janeiro de 2017 choverá menos e com menor quantidade de raios se comparado a janeiro de 2016.

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) emitiu aviso meteorológico que poderá ocorrer tempestade para as regiões centro-norte, sul e leste do Estado. O aviso teve inicio hoje (5) às 11h05 (horário de Brasília) com término amanhã (6) às 12h00 (horário de Brasília).

Poderá ocorrer, durante a passagem do evento meteorológico, risco de quedas de galhos de árvores, leves alagamentos e pequenos estragos, pois a velocidade dos ventos prevista ficará em torno de 40 a 60 km/h durante o evento.

Veja Também

Lei que dá desconto no IPTU a quem instalar câmeras é promulgada
Parque da Capital é fiscalizado após denúncia popular
Canditados já podem conferir se tiveram ou não isenção no Enem
Em Três Lagoas, artesãos serão cadastrados e receberão carteirinha
OAB-MS acionará CNJ contra obrigação de digitalizar processos
Vale Universidade Indígena convoca pré-habilitados para nova etapa
Governo premiará servidores que desenvolvem boas práticas no serviço público
Economia Parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas é regulamentado Valor da parcela mínima será de R$ 50,00 para o microempreendedor individual
Moringa pode purificar a água e ainda combater a desnutrição pelo mundo
Secretário fala de ações do Estado para reforçar a segurança na fronteira