Menu
6 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Dourados

Mais de 15t de lixo são recolhidas em ação

Quantidade foi retirada apenas na região sudoeste da cidade

18 Abr2019Da redação17h53

O terceiro final de semana consecutivo da ação “Sábado sem Mosquito”, promovida pela Secretaria Municipal de Saúde com o apoio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Instituto de Meio Ambiente de Dourados (Imam), Guarda Mirim e Guarda Municipal, recolheu no dia 13 de abril perto de 50 toneladas de lixo na região do bairro IV Plano, polo da atividade na região sudoeste da cidade.

Conforme o Imam, foram pelo menos 21 cargas de dejetos retiradas no bairro durante o mutirão que percorreu as ruas, com visitação a 1.378 imóveis e a constatação de 7 focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, febre chikungunya e zika vírus. Segundo o CCZ, foram lavradas 9 notificações.

Participaram da atividade agentes de endemias, servidores do Imam, além dos integrantes da Guarda Mirim, Semsur, Guarda Municipal e Agentes de Saúde da Família.

Um dia antes do mutirão, ocorreu a sensibilização à população, com a conscientização sobre a importância de manter o quintal limpo e preservado. No dia da ação, o caminhão recolheu na frente das casas restos de fogão, de televisores, pneus, vasos velhos, restos de máquinas de lavar e móveis velhos. Agentes também aplicaram fumacê.

O próximo alvo da ação será o centro da cidade. Rosana Alexandre, coordenadora do CCZ de Dourados recomenda que a população residente ou os comerciantes, observem os quintais e fundos de loja para recolher material que pode acumular agora parada. “Além de lixo, entulhos, mato. Tudo deve ser retirado, uma que estes locais deverão estar sempre limpos. O centro é local de circulação de muitas pessoas e o combate aos vetores nestes locais é imprescindível”, disse.

Retrospecto

A ação “Sábado sem Mosquito”, uma recomendação do Ministério da Saúde, teve início no dia 30 de março, no Parque das Nações II, e ocorreu no dia 6 de abril na região das Vila Índio e Vila Rosa, quando foram coletados e retirados 20 cargas de materiais inservíveis e favoráveis para a procriação do mosquito, como pneus velhos, latas, garrafas, vasos sanitários e até móveis, como sofás e máquinas de lavar, entre outros tipos de lixo que poderiam se transformar em possíveis locais para a proliferação do mosquito transmissor das doenças.

Todo o lixo retirado foi resultado de dois dias de ação, em que foram trabalhados 1.526 imóveis, onde sete focos de procriação do mosquito foram encontrados e feitas 22 notificações.

No Parque II o mutirão trabalhou com 1.384 imóveis, onde um foco foi encontrado e feita uma notificação. Naquela primeira ação, foram retirados 15 cargas de lixo.

Veja Também

Como prevenir acidentes com eletricidade em dias de chuva
PMA apreende 1.000 metros de redes de pesca
Live arrecada alimentos e fraldas para entidades sociais de MS
MS terá mais um fim de semana de temperaturas amenas
Confira passo a passo para obter licenciamento através de aplicativo
Blitz sanitárias abordaram mais de 2,8 mil na Capital
Política de gestão das águas tem adesão de 431 indústrias em MS
TJMS altera competência de varas cíveis de Campo Grande
Com o tema ´Fogo Mata´, Reflore/MS lança campanha contra incêndios
Piscinas públicas da Capital voltam a funcionar em Agosto