Campo Grande •29 de Março de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Segunda, 9 de Janeiro de 2017 - 13h59Má conduta de motociclistas pode aumentar número de acidentesNo ano passado, foram registrados 8.517 acidentes, destes, 4.579 envolviam motociclistas

(Foto: Arquivo Diário Digital)

Diariamente ocorrem inúmeros acidentes de trânsito no mundo todo, resultando em muitos prejuízos físicos e materiais. Conforme dados do Batalhão da Polícia Militar de Trânsito (BPTran), em Campo Grande, durante todo o ano passado, foram registrados 8.517 acidentes, destes, 4.579 envolviam motociclistas.

O número fica mais assustador quando analisado o número de acidentados no trânsito da Capital. De um total de 6.824 vítimas fatais ou não, 4.135 são motociclistas e 715 são garupas, o que equivaleria ao primeiro e terceiro lugar, respectivamente, em um ranking de vítimas de acidentes de trânsito.

A pergunta que fica é: por que são registrados tantos acidentes se na autoescola aprende-se que conduzir defensivamente um veículo – principalmente motocicleta – é o modo ideal para preservarmos a vida?

Geralmente, conforme adquiri-se prática passa-se a ter muita autoconfiança e cria-se alguns maus hábitos na direção que podem prejudicar os próprios condutores e até mesmo aumentar o risco de acidente.

Segundo o examinador de trânsito do Detran-MS, Silvio Portes, as principais condutas erradas dos motociclistas são: utilizar telefone celular encaixado no capacete, pilotar com apenas uma das mãos no guidão, fumar durante a direção, transitar com a viseira aberta e/ou com a jugular aberta/frouxa, não fazer o uso adequado da seta, andar entre os veículos, realização de manobras perigosas, não utilizar vestimentas adequadas, não manter uma distância de segurança de outro veículo e utilizar pneu em mau estado de conservação.

Além da lista acima, o examinador ainda lembra que muitos cidadãos adquirem motocicletas e transitam sem habilitação pela cidade. Para Silvio, a diminuição no número de acidentes e vítimas acontecerá quando a categoria se conscientizar da fragilidade que a condução hostil proporciona.

“Alguns motociclistas precisam estar cientes que o trânsito não depende só deles, eles precisam estar mais atentos a tudo que acontece para se protegerem, pois em relação aos outros veículos eles são os mais vulneráveis”, analisou o servidor.

Para somar com o exame prático que é elaborado com diversos níveis de dificuldade, o Detran-MS ainda investe em ações de educação de trânsito para combinar esforços com os órgãos de policiamento e fiscalização.

Veja Também
Prefeitura lança programa para cuidar da saúde dos servidores
STF mantém base de cálculo da contribuição patronal para Previdência
TVs por assinatura podem ser obrigadas a dar descontos por cortar canais abertos
Após 70 dias, Capital ainda tem 150 mil buracos nas ruas
Veja dicas para dirigir em segurança na chuva
ACICG promove evento 'Guerreiras não nascem prontas'
Motociclista fica ferido em colisão na Zahran
Prefeitura já reparou buracos em mais de 80 km de ruas de Três Lagoas
Mais de 70 bairros podem ficar sem água
Preços de ovos de Páscoa ficam muito acima da inflação no período
Square Banner Sicredi
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento