Campo Grande •25 de Março de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Sexta, 16 de Setembro de 2016 - 18h21Liminar não interfere em greve dos bancários, diz sindicatoBancários asseguram que efetivo mínimo de 30% é mantido nas agências

(Foto: Roberto Okamura)

A Justiça do Trabalho determinou, nesta sexta-feira, dia 16, o estabelecimento do efetivo de no mínimo 30% de trabalhadores nas agências e postos de atendimento das instituições bancárias em todo o Estado. O pedido de liminar partiu da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS). O Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região, contudo, explica que a decisão em nada muda o movimento grevista. Isso porque o percentual de 30% previsto em lei já é cumprido.

A decisão foi tomada pelo juiz da 1ª Vara do Trabalho de Campo Grande, Tomas Bawden de Castro Silva, nesta sexta-feira (16), e passa a valer na próxima segunda-feira, dia 19 de setembro. Caso a medida seja descumprida, a decisão prevê multa diária de R$ 10 mil.

Nesta sexta-feira, 11º dia de greve, o movimento fechou 136 unidades bancárias em Campo Grande e região, uma adesão de 85%. Apesar de fechadas, os bancários explicam que é mantido o efetivo mínimo trabalhando internamente em cada agência, portanto, segundo o sindicato, a greve segue dentro da legalidade. 

Patrões e empregados ainda não chegaram a um acordo sobre o reajuste salarial e outras pautas reivindicadas pela categoria. Em relação ao reajuste, bancários pedem 14,78%, enquanto os bancos oferecem 7%.

Ação Civil - A OAB/MS ingressou com uma Ação Civil Pública (ACP) na última quinta-feira (15) contra a paralisação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades essenciais da comunidade, que cerceou o livre exercício da advocacia gerando prejuízos aos demais jurisdicionados.

“A Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul, no uso de suas prerrogativas constitucionais, ajuizou a ação visando assegurar ao cidadão o direito de ter os serviços atendidos. É mais uma modalidade de ação da OAB que foi bem-sucedida e que trouxe resultados positivos para advogados e jurisdicionados”, disse o presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche.  

De acordo com a ação, a greve por um prazo indeterminado fere a norma prevista no artigo 11 da Lei nº 7.783/1989, que estabelece no Art. 11. “Nos serviços ou atividades essenciais, os sindicatos, os empregadores e os trabalhadores ficam obrigados, de comum acordo, a garantir, durante a greve, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade”, frisa o texto.

No texto da ação proposta pela OAB na Justiça do Trabalho, consta que a indisponibilidade por tempo indeterminado de atendimento bancário para o cumprimento dos mandados judiciais de pagamento e liberação dos valores depositados em contas judiciais, revela-se manifestamente ilegal, porquanto, como acima pontuado, representa uma afronta direta as prerrogativas profissionais previstas no artigo 6º, parágrafo único e no artigo 7º, VI, c, ambos da Lei nº 8.906/94.

(Com informações da assessoria de imprensa da OAB-MS)

Veja Também
Fraude em alimento pode ser crime hediondo
Rodovia ligará Bonito a Corumbá
Corrida da Águas reúne atletas profissionais e amadores neste domingo
Sábado, 25 de Março de 2017 - 07h50Sábado com possibilidade de chuva Temperatura vai a 31° no período da tarde
Capital adere à 'Hora do Planeta' e apaga as luzes neste sábado
Após denúncia de pais, Ceinf da Capital recebe limpeza
Centro de Convivência promove ação social neste sábado
Reunião sobre demissão de 120 pessoas termina sem acordo
Moradores de rua são encaminhados para o mercado de trabalhadores
Uniforme escolar começa a ser distribuído na segunda
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - cirurgia.net
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento