Menu
15 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Capital

Lâmpadas de led na iluminação pública

A economia anual será de R$ 14 milhões com consumo de energia e manutenção

10 Out2019Da redação09h05
(Foto: Luciano Muta)
  • Planejamento da Prefeitura prevê a instalação, até o final de 2020, 46.250 lâmpadas de LED
  • (Foto: Luciano Muta)

A prefeitura de Campo Grande começou em julho deste ano a instalação das lâmpadas de led, até o momento mais de cinco mil lâmpadas foram instaladas em ruas e avenidas da cidade.

De acordo com a prefeitura instalação das primeiras, das 15 mil lâmpadas de LED, de 150 W, que serão instaladas nas saídas da cidade. É o início do projeto que prevê a instalação nos próximos dois anos, 46.250 lâmpadas LED  com tecnologia de telegestão para substituir as lâmpadas atuais, a vapor de sódio.

Em dois meses já foram instaladas 633 lâmpadas em praças como a Ari Coelho, no centro da cidade; Praça da Paz e Augusto Campos Braga, no Carandá Bosque; pista de caminhada da Vila Nasser, na Rua Lindoia, além dos terminais de ônibus Bandeirantes e Guaicurus. A pista de caminhada do conjunto União recebeu 16 lâmpadas de 150 w.

O planejamento da Prefeitura prevê a instalação, até o final de 2020, 46.250 lâmpadas de LED,  que passarão a representar 57% dos 110 mil pontos da iluminação pública da cidade.  Atualmente, só 15% (16.500 lâmpadas) da iluminação da capital (com 110 mil pontos) é feita com lâmpadas de LED. Serão investidos R$ 25 milhões na compra das lâmpadas e mais R$ 6 milhões na instalação.

Quando todas as 62.850 lâmpadas estiveram funcionando, a economia anual será de R$ 14 milhões com consumo de energia e manutenção. O estudo de viabilidade técnico-econômico,  elaborado pela Divisão de Iluminação Pública da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), mostra que o gasto médio por lâmpada com energia elétrica, onde houver a substituição, vai cair 42,72%, de R$ 28,86 para R$ 16,53 por lâmpada, enquanto a despesa com a manutenção de lâmpadas terá redução de 65,97%, de R$ 14,05 para R$ 4,78 por lâmpada.

sta economia é possível porque enquanto uma lâmpada a vapor de sódio funciona de 15 a 30 mil horas, precisando ser substituída, aproximadamente quatro anos após ser instalada, as de LED podem durar até 50 mil horas, ou equivalente a 12 anos de vida útil, gerando economia com mão de obra e material.  O resultado é que a despesa mensal com  a substituição de lâmpadas queimadas baixará de R$ 649,8 mil para R$ 221 mil, economia de R$ 428,7 mil. Esta conta, ressalta-se , refere-se apenas as 46.250 lâmpadas que serão trocadas.

Atualmente, o consumo de energia elétrica destes 46.250 pontos de iluminação que receberão lâmpadas de LED  tem um custo mensal R$ 1.334.775,00. Com a troca, a despesa vai cair para R$ 764.512,50, uma economia de R$ 570,2 mil por mês.  Esta economia é possível porque as lâmpadas de LED gastam, em média, 42,73% menos energia que as de sódio. Com esta projeção, o investimento de R$ 31 milhões na compra e instalação das lâmpadas será pago em menos de três anos, para ser mais exato, em dois anos e sete meses, tomando como base a economia mensal estimada em R$ 996 mil.

 

 

Veja Também

Obra começa e moradores de rua deixam viaduto
Carreta da Justiça Itinerante atende sul do Estado
Pescador salva onça presa em anzol de galho no rio Miranda
Ave silvestre é abandonada e PMA orienta sobre devolução espontânea
Governo Federal modifica regras para deportação de estrangeiros
Acidente Mecânico tem lesões graves após choque elétrico Acidente aconteceu quando vítima subiu no telhado da oficina
UEMS promove ações sustentáveis na  Semana Lixo Zero
Confira escala médica nas UPAs e CRSs nesta segunda-feira
Guarda Municipal recolhe modelos de espingardas que causaram morte de homem
Parceria vai agilizar atendimento às famílias de vítimas de morte natural