Menu
22 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Histórias de amor

Justiça Itinerante une 55 casais em Campo Grande

Houve ainda quatro divórcios, sete acordos envolvendo guarda, pensão e visitas

14 Jun2017Da redação18h00

Cinquenta e cinco casais formalizaram a união na Justiça Itinerante que na terça-feira, 13 de junho, Dia de Santo Antonio, Padroeiro de Campo Grande, e conhecido como santo casamenteiro, esteve nos bairros Estrela Dalva e Piratininga, na periferia da Capital.

Juntos há dois anos João Vitor Quevedo, 27 anos, e Beatriz Regina finalmente tornaram-se marido e mulher. Ela, inclusive, destacou-se usando vestido branco. “Eu curto a página do TJMS nas redes sociais e vi que iam tirar fotos. Como já pretendíamos casar e nunca dava tempo, aproveitamos o feriado. E estamos aqui”.

 Dentro do ônibus, a equipe trabalhava a todo vapor, solucionando a demanda de quem busca a Justiça. Entre as muitas pessoas que esperavam para ser atendidas estavam Luzia Aparecida dos Santos e Gilmar Tributino, que vieram de Água Clara para oficializar a união de 21 anos e dois filhos. Nos planos do casal a intenção de realizar a cerimônia religiosa em outubro ou dezembro.

 Sobre os quase 200 km que percorreram para casar, ambos enfatizaram: era um sonho antigo que a Justiça Itinerante tornou realidade e valeu a pena o caminho percorrido para chegar em Campo Grande.

Embora a maioria das pessoas que buscam o serviço da Justiça Itinerante seja para conversão de união estável em casamento, houve também muitas orientações jurídicas sobre pensão, alimentos, guarda e um solitário pedido de divórcio.

Conforme o juiz Cezar Luiz Miozzo, que responde pela 8ª Vara do Juizado Especial muitos parentes de noivos vão até o ônibus para assistir a oficialização da união, mas nem sempre é possível porque a unidade móvel da justiça não tem espaço suficiente. “Ainda assim, acredito que o que mais nos aproxima da população é a proximidade nos bairros. Temos um atendimento completo e todos os dias dois ônibus percorrem os bairros da Capital. Por ser feriado, o números de pessoas que buscaram os serviços do ônibus foi muito expressivo”, disse ele.

 Um dos ônibus estava no bairro Estrela Dalva e o outro no Piratininga. No total, foram 55 casamentos, quatro divórcios, sete acordos envolvendo guarda, pensão e visitas; sete pensões alimentícias em atraso. Uma exoneração de alimentos e um pedido de alimentos, além das inúmeras orientações jurídicas.

(As informações são da assessoria de imprensa do TJMS)

Veja Também

Ação prende condutor embriagado e autua 154
Ministério da Educação e FNDE fazem pesquisa sobre transporte escolar
Ministério Público investiga falhas em Hospital de Sonora
Comissão aprova crime de importunação sexual no Código Penal
Aprovado projeto que dobra gratificação de secretários de escola
Aeronaves do Estado são vistoriadas pelo MPE
Telemarketing pedirá ajuda para Cotolengo
MPE se posiciona sobre acidente entre ônibus e trem
Prefeitura de Corumbá anuncia expediente especial nos dias de jogos do Brasil
Dentistas aguardam proposta salarial para decidir sobre greve