Campo Grande •18 de Outubro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Rota das Estações - Primavera

Da Agência Brasil | Segunda, 15 de Maio de 2017 - 12h16Justiça do Rio bloqueia R$ 110 milhões de envolvidos em desvio de verba da saúdeMedida é contra também os ex-secretários municipais de Saúde do Rio, Hans Dohmann e Daniel Soranz, que estão entre as 64 pessoas denunciadas

A Justiça do Rio determinou o bloqueio de R$ 110.809.546,71 em bens acumulados pelo grupo liderado pelos irmãos Wagner e Valter Pelegrine, donos da organização social Biotech, que prestava serviços na área de saúde à prefeitura do Rio.  Eles são acusados de desviar R$ 53 milhões de recursos públicos da saúde destinados aos hospitais municipais Pedro II, em Santa Cruz, na zona oeste e Ronaldo Gazola, em Acari, zona norte da cidade. A medida é contra também os ex-secretários municipais de Saúde do Rio, Hans Dohmann e Daniel Soranz, que estão entre as 64 pessoas denunciadas.

De acordo com a ação ajuizada pelo Ministério Público estadual  para viabilizar a incorporação dos recursos públicos ao patrimônio pessoal, os irmãos Wagner e Valter agiram em três etapas: direcionamento das contratações de serviços e das aquisições de bens para empresas pré-selecionadas, sendo que várias delas possuíam ‘laranjas’ em sua composição societária; realização de pagamentos superfaturados; e repasse dos valores, recebidos nas contas bancárias das empresas pré-selecionados, para os dirigentes da organização ou para terceiros.

Decisão

Na decisão, o juiz Luiz Otávio Heckmaier da 1ª Vara de Fazenda Pública do Rio diz que, além da restituição dos recursos desviados, a lei de improbidade administrativa prevê a aplicação de multa aos acusados de até duas vezes o valor do acrescimento patrimonial. Com isso, o valor do dano ao patrimônio público somado à multa civil equivale a R$ 158.942.412,18. Parte desse valor (R$ 48.132.865,47),  já foi bloqueado por ordem da 2ª Vara Criminal do Fórum Regional de Santa Cruz, na zona oeste, onde, em 2015, foi instaurada a ação penal contra alguns dos réus.

O magistrado disse na decisão que “a medida restritiva de indisponibilidade de bens visa assegurar o futuro ressarcimento ao erário dos prejuízos causados pela conduta tida por ímproba, revelando medida de cautela compatível com o caso em análise, dadas as condições em que apuradas as condutas de pessoas físicas e jurídicas utilizadas nesse tipo de prática”.

Veja Também
CCJ reinicia hoje discussão sobre parecer que trata de denúncia contra Temer
Quarta, 18 de Outubro de 2017 - 10h30Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios Reajuste ocorre em duas parcelas
Quarta, 18 de Outubro de 2017 - 08h28Praça Ary Coelho recebe no sábado atividades visando à prevenção do câncer de mama Subsecretária de Políticas para Mulheres Carla Stephanini explica que evento leva aos munícipes informações de prevenção ao...
Incêndio no Parque das Várzeas do Rio Ivinhema já atingiu 18 mil hectares
Quarta, 18 de Outubro de 2017 - 07h54Ato em defesa do Sistema Único de Assistência Social acontece nesta quarta-feira Pela carta, valor orçamentário para 2018 deve respeitar o aprovado pelo Conselho Nacional de Assistência Social
Quarta, 18 de Outubro de 2017 - 07h18Capital poderá temperatura máxima de 36° Ocorrência de chuvas no período da tarde em todo o estado
Liminar garante atendimento de advogados no sistema penitenciário
Confira dicas para acabar com o ronco
Homem que matou em briga de bar é condenado a 8 anos de prisão
Veto cai e Capital poderá entrar na era dos parklets
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento