Campo Grande •23 de Abril de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Terça, 27 de Dezembro de 2016 - 09h02Instituto Nacional de Meteorologia divulga previsão pra o verãoVerão é especialmente importante para a atividade agrícola do Brasil, em quase toda a sua extensão territorial

(Foto: Divulgação)

O verão, no hemisfério sul, começou oficialmente às 08h44 (horário de verão, Brasília-DF) na quarta-feira (21) e termina às 7h29 de 20 de março de 2017. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as mudanças nas condições de tempo nesta estação são marcadas pela ocorrência de chuvas em forma de pancadas, temporais com possibilidade de granizo, ventos fortes e elevação das temperaturas.

Devido às suas características climáticas, o verão é especialmente importante para a atividade agrícola do Brasil, em quase toda a sua extensão territorial. O verão de 2017 deverá ser uma estação clássica e típica com chuvas generalizadas e temperaturas altas em quase todo o nosso país.

O Verão de 2017 será marcado pela atuação do fenômeno oceânico-atmosférico “La Niña”, de forma fraca. De modo geral, a ocorrência deste fenômeno, com fraca intensidade, é favorável às chuvas na região Nordeste e desfavorável no Sul.
Entretanto, outros fatores, como a temperatura na superfície do oceano Atlântico Tropical e na área oceânica próxima à costa do Uruguai e da região Sul, poderão influenciar, dependendo das suas características climáticas durante essas estações, no regime de chuvas, intensificando ou atenuando os efeitos do La Niña.

REGIÃO CENTRO-OESTE

Para o Verão, inicia a atuação de formação de sistemas de baixa pressão atmosférica, que geralmente estão associados à ocorrência de chuvas regulares e intensas. A previsão para os próximos três meses (janeiro, fevereiro e março) indica chuvas acima da normal climatológica em grande parte dos estados de Goiás e Mato Grosso.

Com a possível posição da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) mais ao norte de sua posição climatológica, existirá a possibilidade, inclusive, de eventos extremos como chuvas intensas, ventos fortes e queda de granizo em todos os estados da região.

Tais níveis, de chuva esperada, poderão beneficiar a agricultura e o desenvolvimento para cultivos no centro-oeste.

Em contrapartida, o prognóstico para o sul do estado do Mato Grosso do Sul indica maior probabilidade de chuvas irregulares, e abaixo da normal climatológica para o trimestre.

Vale ressaltar: Como a média trimestral é alta, existe, também, a possibilidade de chuvas consecutivas por mais de sete dias. Esses altos níveis de umidade, poderão ser prejudiciais ao manejo agrícola e aparecimento de doenças, especialmente da “Ferrugem Asiática”.

Prognóstico Climático por região, para o período de: Janeiro, Fevereiro e Março de 2017.

A qualidade das chuvas – frequência e quantidade – nos meses de Verão é fator crucial para o bom desempenho na produção de grãos da primeira safra e da safrinha no Brasil.

Nesse contexto, uma análise prognóstica das condições climáticas para todo o país no trimestre janeiro, fevereiro e março de 2017 (mapa abaixo) apresenta-se como importante ferramenta de auxílio para ao manejo dos cultivos e o planejamento agrícola.

Os prognósticos, aqui apresentados, baseiam-se na análise das tendências das condições oceânico-atmosféricas, que influenciam o clima no Brasil e em projeções de modelos climáticos estocásticos, como o do Inmet.

As chuvas intensas e temporais (avisos meteorológicos especiais – http://www.inmet.gov.br e http://www.crc-sas.org/pt/), nas áreas vulneráveis, deverão ser monitoradas com atenção (Defesa Civil).

Veja Também
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - cirurgia.net
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento