Campo Grande •20 de Outubro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner FM Cidade

Da redação | Sábado, 17 de Junho de 2017 - 12h20Hortas comunitárias em terrenos baldiosProjeto da Cãmara quer incentivar cultivo de de Campo Grande

Tramita desde esta quarta-feira (14) na Câmara Municipal da Capital uma proposta de lei que visa incentivar o cultivo de hortas e outras atividades de agricultura urbana em terrenos baldios de Campo Grande, públicos ou privados. O projeto é de autoria dos vereadores Ademir Santana (PDT) e Professor João Rocha (PSDB) e quer, também, garantir a ocupação ordenada e lucrativa dos espaços, conferindo-lhes uma destinação que beneficiará diretamente a economia municipal.

De acordo com o texto, o cultivo será feito com mão de obra local, através de gestão compartilhada com a iniciativa privada, associações de bairros e entidades governamentais e não governamentais. Para os terrenos públicos, o projeto prevê contrato de cessão e, em terrenos particulares, esses espaços devem ser previamente cadastrados junto ao município. O programa, além de gerar renda nos bairros da Capital, poderá incentivar a limpeza de terrenos onde proliferam-se ratos, insetos e outros animais peçonhentos. 

“O projeto de agricultura urbana tem vários motivos para acontecer, mas a ideia surgiu mesmo porque a minha trajetória foi construída na periferia, e sempre me chamaram a atenção as áreas públicas ociosas que têm servido de depósito de lixo e foco de doenças, causadas, principalmente, por mosquitos e animais peçonhentos. Dessa forma, além de resolver estes problemas, nós vamos movimentar a economia do entorno das hortas, levar educação sobre boa alimentação à comunidade e gerar empregos para muitas famílias”, destaca Ademir Santana.

Para João Rocha, o projeto agrega em diferentes áreas. "Caso seja aprovado e implementado pela Prefeitura, o programa de agricultura urbana vai movimentar a economia campo-grandense, trazendo renda e paralelamente levando mais segurança, saúde e educação para nossos bairros. Além disso, o Poder Executivo poderá comprar parte dessa produção com desconto, gerando economicidade nos gastos públicos", afirma.

O projeto também deve fortalecer o Cinturão Verde, suprindo a deficiência no abastecimento dos hortifrutigranjeiros em Campo Grande. Para a implementação do programa, prevê a proposta, a Prefeitura deverá levar em conta as diretrizes estabelecidas na Lei de Zoneamento, que dividiu a cidade em sete zonas urbanas, e a Lei de Impacto de Vizinhança. O objetivo é evitar a precarização da política de desenvolvimento e ocupação das áreas centrais e periféricas da cidade.

Veja Também
Sexta, 20 de Outubro de 2017 - 06h39Chuva e calor intenso Sexta-feira pode ter a continuidade da chuva
Presídio federal recebe 14 presos e entrega 21
Temporal causa destruição em Três Lagoas
Em Três Lagoas, projeto garante vaga para irmãos na mesma escola
Jovem pede namorada em casamento durante flash mob em shopping
OIT: mudança de regra no combate ao trabalho escravo pode provocar retrocessos
Belmar Fidalgo está sem bebedouro e torneira nos banheiros
Ventania causa estragos em Dourados
Estudantes devem fazer rematrícula na Rede de Ensino de Corumbá
Médico que atende indígenas recebe título de ‘Comendador’
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento