Campo Grande •16 de Agosto de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner FM Cidade

Da redação | Terça, 1 de Agosto de 2017 - 16h50Homem que mudou de nome por conta própria tem registro anuladoSentença determinou a retificação do nome nos documentos e registros do réu

(Foto: Divulgação)

O Ministério Público ingressou com a ação de nulidade do registro de nascimento contra um homem, alegando, em síntese, que o réu foi denunciado e condenado pelo crime de falsidade ideológica porque usou o nome falso de “Elson” para fazer o registro de nascimento de forma tardia e, com este registro, se casou e registrou dois filhos e usou em todos documentos pessoais.

Sustenta o MP que o registro com o nome “Elson” deve ser declarado nulo, uma vez que ele já possui registro anterior de nascimento com o nome “Elio”. Assim, requer a anulação do registro, bem como a determinação das retificações nas certidões de nascimento dos filhos, como também na certidão de casamento e averbação de divórcio, além dos demais documentos, tais como RG, carteira de motorista, carteira de reservista, etc.

Em contestação, o réu não se opôs ao pedido do MP, prestando esclarecimentos que tal fato ocorreu por volta dos anos de 1978 e 1979 quando perdeu todos os seus documentos, razão pela qual retirou nova certidão de nascimento e, entendendo que não haveria problema, realizou a alteração de seu nome para “Elson”, pois considerava o nome “Elio” depreciativo.

Ressalta que em 2003, período do início do cumprimento de sua pena, a contradição foi esclarecida, passando a utilizar apenas os documentos em nome de “Elio”.

Sobre a situação, afirmou o juiz José Eduardo Neder Meneghelli que “a existência de assento de nascimento anterior constituía óbice à lavratura de um segundo registro em nome da mesma pessoa, advindo daí a nulidade do segundo registro”.

Veja Também
Estudante do IFMS é selecionado para o Parlamento Jovem Brasileiro
Neta de Antônio Morais faz vernissage de estreia com aquarelas
Mais de 40% dos flagrantes de violência contra a mulher resultam em prisão
Regional abre portas do PAM e desagrada prefeitura
STF nega indenização a MT por criação de parque indígena
CMO abre portões à comunidade no dia 27 de agosto
Enfermagem da Uems tem primeiro grupo de acadêmicos no Samu
MS poderá ter Cadastro de Condenados por Racismo ou Injúria Racial
Indígenas bloqueiam rodovia entre Dourados e Itaporã
Quarta, 16 de Agosto de 2017 - 12h20Trechos em pare-e-siga da CCR MSVia na BR-163/MS exigem atenção do motorista Em caso de chuva, as obras poderão ser interrompidas
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento