Menu
20 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner Governo - Maio amerelo
Julgamento

Homem que matou esposa no HR pega 13 anos de prisão

Wilson de Lima matou vítima a facadas em hospital por não aceitar a separação

29 Ago2017Valdelice Bonifácio16h00
Vilma Alves de Lima foi morta a facadas em frente ao Hospital Rosa Pedrossian, onde trabalhava (Foto: Reprodução/Facebook)
  • Wilson de Lima não se defendeu em seu julgamento, disse apenas que não se lembrava dos fatos no dia do crime
  • Vilma Alves de Lima foi morta a facadas em frente ao Hospital Rosa Pedrossian, onde trabalhava (Foto: Reprodução/Facebook)
  • Filha da vítima estava emocionada no momento do anúncio da sentença (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

O pedreiro Wilson de Lima, 71 anos, que matou a esposa Vilma Alves de Lima, 57 anos, a facadas, em frente ao Hospital Rosa Pedrossian, em Campo Grande, foi condenado a 13 anos de prisão em regime fechado. O julgamento dele foi realizado nesta terça-feira, 29 de agosto, na 1ª Vara do Tribunal do júri, da Capital.

A condenação inicial aplicada pelo juiz Carlos Alberto Garcete foi de 15 anos de prisão, mas foi aplicada redução de dois anos pelo fato de o réu ter mais de 70 anos de idade. Durante o julgamento, Wilson disse apenas que não se lembrava dos fatos praticados no dia. A defesa sustentou que ele agiu sob forte emoção.

O crime foi praticado na tarde do dia 5 de janeiro de 2016. Inconformado com a separação, Wilson encontrou-se com a vítima na área externa do Hospital Regional Rosa Pedrossian, onde ela trabalhava como auxiliar de serviço de assistência médica, sob o pretexto de levar um bilhete com a história do casal, na esperança de que ela reconsiderasse a decisão de separarem-se.

Porém, enquanto conversavam, o acusado pegou a faca que mantinha escondida e desferiu-lhe vários golpes. Mesmo recebendo atendimento no próprio hospital, a senhora de 57 anos veio a óbito.

Logo após o crime, o réu pegou o carro que era do casal, dirigiu-se para a Rodovia BR-262 e, próximo ao Indubrasil, tentou suicídio ao jogar o veículo contra um caminhão que trafegava no sentido oposto. Não tendo morrido, ele ainda desferiu uma facada em seu próprio peito, o que também não foi suficiente para causar-lhe a morte.

Wilson de Lima está preso deste então, tempo que será abatido da pena aplicada pelo juiz no julgamento desta terça-feira.

Justiça – Familiares e amigos de ambos – vítima e réu – acompanharam o júri. Os filhos de Vilma de Lima, Edon, Edina e Eledir deixaram o Fórum sentindo-se aliviados, como eles próprios disseram. “Justiça foi feita. Nosso medo, era dele ser absolvido e ficar em liberdade. Isso não aconteceu felizmente”, disse Edson. “Nunca desejamos a mal, mas apenas que a justiça fosse feita. Treze anos de prisão é um tempo razoável”, considerou Edina.

Veja Também

Rodovia que 'esfarelou' fica pronta em agosto
Simted suspende greve que iniciou na sexta-feira, dia 18
Dourados receberá Caravana da Saúde Indígena em junho
Campanha de Vacinação já imunizou 129 mil pessoas, diz prefeitura
Projeto estabelece o rastreamento precoce de doenças
Programa Universitário Cidadão tem início em Três Lagoas
Defesa Civil do Estado avalia impactos da cheia do Pantanal
Câmara conclui votação da regulamentação da profissão de físico
EUA acusam aliado de Maduro de narcotráfico e impõem sanções
Projeto endurece pena para homicídio contra população LGBT