Menu
20 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner ALMS - Parlamento Jovem
Geral

Governo forma 438 novos agentes penitenciários

Número de agentes penitenciários formados será a maior realizada pelo do Estado

7 Jan2017Da redação10h18

O Governo do Estado forma, em 1º de fevereiro, 438 novos agentes penitenciários que reforçarão o quadro da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), que atualmente conta com efetivo de 1.379 servidores. É a formação da maior turma de agentes penitenciários já realizada pelo Estado.

De acordo com a Agepen, o sistema carcerário do Estado tem 7.327 vagas, mas comporta 15.549 detentos. Com a construção de novos presídios, a previsão é de abertura de 2.588 novas vagas. O diretor-presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, destaca que os agentes que estão sendo formados pelo Estado não serão “simples carcereiros”. Todos os agentes, segundo o diretor-presidente da Agepen, “têm nível de escolaridade superior e são treinados também para o trabalho de ressocialização, o que é fundamental para a humanização e para desafogar o sistema penitenciário”.

Stropa destaca também os projetos de utilização de mão de obra carcerária na reforma de escolas prédios dos órgãos da Segurança Pública, principalmente delegacias, atingindo dois objetivos: reintegração social e redução dos custos de manutenção de prédios públicos.

Novos presídios

Em Campo Grande estão sendo construídos três presídios no complexo da Gameleira: dois masculinos, com 603 vagas cada, e um feminino, com 407 vagas. Com exceção do feminino, que teve atraso no cronograma em razão de falhas no projeto, as obras da Gameleira serão inauguradas ainda neste primeiro semestre.

Em Coxim, estão em andamento as obras de ampliação do presídio, que terá mais 144 vagas. O mesmo número de vagas será aberto também com ampliação do presídio de Ponta Porã.

Com o aporte de R$ 54.640.972,22 liberados pelo Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), o Governo do Estado destinará R$ 31.944,444,44 para a construção de dois presídios em Dourados, um masculino com 800 vagas, e um feminino, com 400 vagas, além de um presídio de regime semiaberto em Corumbá.

Veja Também