Menu
21 de agosto de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Expo MS
Investimento

Governo atinge 97,8% da meta e fecha 2017 com R$ 2,25 bilhões contratados no FCO

Setor rural foi responsável por 64% de contratações do FCO em 2017

10 Jan2018Da redação11h03

O governo do Estado atingiu 97,8% da meta de aplicação dos recursos disponíveis para Mato Grosso do Sul no Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FCO) em 2017. Dos R$ 2,33 bilhões disponíveis no FCO no ano passado para o Estado, R$ 2,25 bilhões foram efetivamente contratados até 29 de dezembro de 2017 pelos setores rural e empresarial em projetos de ampliação ou instalação de novos empreendimentos. Deste total, R$ 2,150 bilhões foram contratados junto ao Banco do Brasil, R$ 61 milhões junto ao BRDE e R$ 14 milhões junto ao Sicredi, que são as instituições financeiras operadoras do Fundo no Estado.

O secretário adjunto da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Ricardo Senna, comemora o resultado e lembra que “foi uma conquista importante para Mato Grosso do Sul ampliar de R$ 1,2 bilhão para R$ 2,3 bilhões o recurso do FCO disponível para o Estado. Dentro da política de estímulo ao setor produtivo do Governo do Estado, realizada pela Semagro, nós aprimoramos o diálogo com o setor empresarial, mostramos a importância e o diferencial do Fundo, que é a melhor, mais competitiva e barata linha de financiamento de longo prazo”.

Distribuição dos recursos

Outro fato destacado por Ricardo Senna foi a contratação de recursos do FCO por empreendimentos em todos os municípios de Mato Grosso do Sul. “Recuperamos a confiança dos setores empresarial e rural e isso contribuiu para a nossa política de desenvolvimento do Estado. Um dos nossos principais pilares é oferecer a todas as regiões as mesmas condições e oportunidades, e o exemplo maior é que temos recursos aplicados em todos os 79 municípios sul-mato-grossenses. Esse é um indicador importante de aplicação dos recursos do FCO, dentro da perspectiva de desenvolvimento regional”, comentou.

Os municípios com o maior volume de contratações do FCO foram Dourados, Campo Grande, Chapadão do Sul, Maracaju, Itaporã, Três lagoas, Ponta Porã, conforme a tabela abaixo:

Municípios com as maiores contratações

Dourados                            R$ 218.465.468,25

Campo Grande                 R$ 154.358.891,73

Chapadão do Sul              R$ 92.257.477,33

Maracaju                            R$ 87.698.855,83

Itaporã                                 R$ 66.925.075,17

Três lagoas                         R$ 63.969.031,15

Ponta Porã                         R$ 61.941.623,32

Sidrolândia                         R$ 43.409.342,38

Corumbá                             R$ 39.795.077,21

Laguna Carapã                  R$ 37.413.222,65

Celeridade nas análises

Foram realizadas 21 reuniões do Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO (CEIF-FCO), presidido pelo secretário Jaime Verruck, da Semagro, nas quais foram analisadas 521 cartas-consulta, num total de R$ 1,58 bilhão em projetos apreciados pelo Conselho. Contratações de até R$ 1 milhão são analisadas diretamente nas instituições financeiras que realizam as operações do FCO (Banco do Brasil, Sicredi e BRDE).

O setor rural foi responsável por 64% de contratações do FCO no ano passado, com destaque para empreendimentos de reflorestamento e recuperação de pastagens, renovação de lavoura de cana-de-açúcar, aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas e outras atividades ligadas ao agronegócio. O setor Empresarial foi responsável por 36% das contratações, com destaque para projetos de implantação de Centros de Distribuição, ampliação de atividades industriais já existentes e instalação de novas indústrias.

No Banco do Brasil foram contratados R$ 1,380 bilhão em 3.257 operações do setor Rural e outros R$ 770,6 milhões em 3.280 operações do setor Empresarial. No BRDE foram contratados R$ 61 milhões no setor Rural. Já no Sicredi, foram R$ 10,871 milhões no segmento Rural e R$ 3,635 milhões no empresarial. No total, foram contratados R$ 2,225 bilhões junto ao FCO, em 6.537 operações financeiras realizadas de janeiro a dezembro de 2017.

Perspectiva positiva

Na avaliação do secretário adjunto, Ricardo Senna, “a contratação desses R$ 2,25 bilhões explica o desempenho positivo da economia de Mato Grosso do Sul que, a despeito da crise que atinge o país como um todo, manteve sempre um patamar de competitividade, geração de emprego e segurança jurídica. Isso também é reflexo dos R$ 40 bilhões de investimentos que atraímos para o Estado ao longo desses três anos. Nós criamos condições para que novos setores despontassem como oportunidade de negócios e esse recurso do FCO permitiu que pudéssemos ter uma política de desenvolvimento focada na regionalização, na oportunidade para as regiões e no dinamismo dos setores econômicos”.

Para 2018, Mato Grosso do Sul terá R$ 2.219.660.940,81 disponíveis no FCO. “Nosso trabalho vai ser ainda mais intenso ao longo deste ano. Vemos sinais de recuperação da economia, algumas empresas começam a tirar seus projetos da gaveta e a nos procurar. É um cenário positivo que vai potencializar o crescimento econômico do Estado”, finalizou o secretário adjunto Ricardo Senna, da Semagro.

Veja Também

Clima Capital teve frio de 9°C Dia pode permanecer nublado mas sem previsão chuva
Mostra de Turismo terá trilhas e observação de aves na Capital
Roraima volta a pedir ao STF limite de entrada de venezuelanos
Nova espécie de rã recebe nome em homenagem a Corumbá
Animais ganham novos lares em ação do CCZ
Prefeitura de Dourados denuncia furtos de cabos da rede elétrica
Prefeitura quer melhorar serviço de Zona Azul em Três Lagoas
MPE investiga fiscalização de transporte de resíduos e entulhos
Justiça faz mutirão de causas de violência contra mulher
Capital lança programa para valorizar vida