Menu
21 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Política

Governo acaba com obrigatoriedade de simulador para tirar CNH

Com a mudança, o condutor terá que obrigatoriamente fazer 20 horas de aulas práticas

14 Jun2019Da redação08h00

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, disse hoje (13) que o governo decidiu retirar a obrigatoriedade do uso de simuladores para a expedição da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A medida foi aprovada nesta quinta-feira (13) durante a primeira reunião do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Além de acabar com a obrigatoriedade do uso de simulador, o Contran também diminuiu de 25 para 20 horas o número de aulas práticas para os aspirantes a habilitação da categoria B.

“A gente já vinha falando ao longo do tempo e hoje estamos tirando a obrigatoriedade dos simuladores, que passam a ser facultativos. Será uma opção do condutor fazer a aula ou não. Se ele julgar necessário que aquilo é importante para a formação dele, de que não está seguro de sair para aula prática, ele poderá fazer. Se não quiser, ele não terá que fazer a aula de simulador”, disse o ministro.

O prazo para a implementação da nova regra é de 90 dias. Com a mudança, o condutor terá que obrigatoriamente fazer 20 horas de aulas práticas. Se optar pelo uso do simulador, serão 15 horas de aulas práticas e 5 horas no equipamento.

“O simulador não tem eficácia comprovada, ninguém conseguiu demonstrar que isso tem importância para formação do condutor. Nos países ao redor do mundo, ele não é obrigatório, em países com excelentes níveis de segurança no trânsito também não há essa obrigatoriedade. Então, não há prejuízo para a formação do condutor”, disse Tarcísio.

De acordo com o ministro, a medida visa reduzir a burocracia na retirada da habilitação. O ministro disse estimar uma redução de até 15% no valor cobrado nos centros de formação de condutores.

“Isso é importante para muito centro de formação de condutores que não possuíam o equipamento. Agora eles não vão precisar adquirir o equipamento ou fazer comodato e isso certamente terá um custo na carteira. As aulas de simulador têm um custo diferente, mas dá para estimar que a gente vá ter uma redução de até 15%. A ideia é deixar que o mercado defina isso”, disse.

 

Veja Também

Inovação e educação empreendedora é tema do 25ª café com negócios
Confira a lista dos 224 apartamentos sorteados
Simone Tebet anuncia leitura de relatório
Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA
Clima Temperatura em elevação Umidade relativa do ar em queda
Alunos do Instituto Mirim participam de capacitação tecnológica
Projeto que usa mosquitos modificados contra o Aedes entra em nova fase
Juíza de MS é vencedora em premiação nacional
Prefeitura de Corumbá anuncia reforma da Rodoviária Intermunicipal
Sergio Moro destaca importância de prisão em segunda instância