Campo Grande •20 de Novembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner Governo - Refis

Elaine Silva - Especial para Diário Digital | Terça, 29 de Agosto de 2017 - 10h16Gaeco prende ex-deputado Ary Rigo temporariamenteOperação cumpre mandatos de busca e apreensão, prisão preventiva e temporária

  
(Foto: Luciano Muta)
  • (FOTO: Luciano Muta)
  • (FOTO: Luciano Muta)

O ex-deputado estadual Ary Rigo, foi preso em sua casa no Residencial Dahma, durante a operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). As informações são de que ele teria sido preso temporariamente e aconteceu busca e apreensão em sua casa. A operação está cumprindo 9 mandados de prisão preventiva, 3 de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão. 

Antes das 7h, na sede do Departamento de Trânsito do Estado de Mato Grosso do Sul (Detran/MS), saída para Rochedo, também aconteceu o comprimento de um mandado de busca e apreensão de documentos.

Segundo informações preliminares, a operação também está acontecendo em outros órgãos públicos. O diretor adjunto Donizete Aparecido da Silva, chegou na companhia do agentes do Gaeco que o buscaram em sua residência para acompanhar as investigações na presidência. Assim como o Diretor Presidente Gerson Claro que chegou por volta das 9h30.

Os blocos alvos da operação são: 7,9 e 13 que correspondem a Diretoria de Tecnologia da Informação, Presidência e Departamento Administrativo e de Finanças. Cerca de 60 servidores foram impedidos de trabalhar enquanto acontece a operação.

Os diretores de finanças Celso Braz e o diretor de tecnologia Gerson Tomi, foram solicitados para acompanhar as investigações em seus respectivos setores, porém, ainda só a informação de que Tomi estaria acompanhando em seu departamento. A assessoria do órgão informou que até o momento não vai se pronunciar sobre o caso e que não sabe o motivo da investigação. 

O Gaeco deverá dar mais operações sobre a Operação ainda hoje. 

Operação -  A operação tem a finalidade de cumprir 9 mandados de prisão preventiva, 3 de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão. Os alvos são contratos de informática celebrados entre empresas e o Poder Público.

Crimes - Corrupção ativa e passiva, fraude à licitação, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro.  

Prisão -  Acabou de acontecer mais uma prisão temporaria. O dono da empresa de informática Digix Jonas Schimidt das Neves, também foi preso pelo Gaeco nessa manhã (29) . 

(Matéria atualizada ás 11h13 para acréscimo de informação)

Veja Também
Segunda, 20 de Novembro de 2017 - 06h35Céu nublado e chuvas isoladas Temperatura máxima deve chegar a 30° no período da tarde
Marinha do Brasil e FAB auxiliam em buscas por submarino argentino
Prova do IFMS reúne mais de 3,4 mil candidatos em dez municípios
Militares da Capital ajudam em buscas por submarino
Restauração da entrada de Bonito vai receber ciclovia e R$ 9,6 milhões
Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 50 milhões
IFMS recebe R$ 1,2 milhão para desenvolvimento de softwares
Inscrições para praça de alimentação do 'Dourados Brilha' terminam amanhã
Prefeitura oferece cursos para servidores em parceria com Senai
Comissão analisa projeto que prevê ingresso gratuito em museus
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento