Menu
21 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Campo Grande

Funsat atende deficientes e orienta empresas para lei das cotas

Intenção, de acordo com direção da Funsat, é ampliar atendimento às pessoas com deficiência

11 Jul2017Da redação13h54

Com o objetivo de oferecer oportunidade de trabalho e renda para pessoas com deficiência,  a Prefeitura Municipal de Camp Grande, através da Fundação Social do Trabalho (Funsat), oferece atendimento na Agência de Emprego aos trabalhadores com deficiência que buscam ser inseridos no mercado de trabalho. A finalidade é agilizar a intermediação de mão de obra  e orientar as empresas para a Lei de Cotas  -que visa a defesa dos direitos destes trabalhadores –  solicitando mais vagas.

A intenção, de acordo com o  diretor-presidente da Funsat, Cleiton Franco, é ampliar o atendimento às pessoas com deficiência.  “Temos um núcleo na Funsat de pessoas especializadas para atender as pessoas com deficiência e buscamos o contato com as empresas para que ofereçam oportunidade de emprego”, frisou.

O atendimento  das especificidades de deficiência física, visual, auditiva, intelectual que não são impeditivas ao exercício de atividade de trabalho são intermediados pela Coordenadoria do Núcleo da Pessoa com Deficiência da Funsat.  De acordo com a Coordenadora,  Eliene Rodrigues de Souza, a Funsat realiza  intermediação de mão de obra que visa  a defesa dos direitos destes trabalhadores lembrando às empresas a existência da Lei de Cotas (Lei nº 8213/91).

A Lei de Cotas determina o percentual destes trabalhadores nos postos formais de trabalho nas empresas. “Nossa missão é garantir acesso e permanência dessa população produtiva às relações de trabalho de forma justa e igualitária”, ressaltou Eliene.

Oportunidade - O exemplo começa pela própria Prefeitura. Fabio Célio Oliveira de Araújo, 40 anos, estava desempregado há mais de um ano e foi encaminhado, há um mês, para a  Subsecretaria de Direitos Humanos, atuando nas Políticas Públicas para as Pessoas com Deficiência Física. “Estou vendo minha dignidade resgatada, hoje posso pensar no meu futuro e realizar meu sonho que é voltar para a faculdade de Serviço Social”, declarou.

Com diversos cursos na área da informática, Wallace Milanês Bezerra, 30 anos, que é surdo,  foi encaminhado para o Viveiro de Mudas do Município.  Wallace estava desempregado há 2 anos e agradeceu a oportunidade. “Estou feliz aqui no viveiro, fui bem recebido por toda a equipe, não estou na minha área, mas sou grato pela oportunidade”, sinalizou.

Para Ricardo Lima de Menezes, biólogo responsável pelo viveiro, Wallace transformou de maneira positiva a rotina do viveiro. “Estou estudando Libras e toda a equipe também está aprendendo com o Wallace. Todos os dias ele nos ensina”, finalizou.

Serviço - Os candidatos interessados em realizar o cadastro devem comparecer à Funsat trazendo os seguintes documentos: Carteira de Trabalho, RG, CPF, PIS, PASEP e laudo médico  comprobatório da deficiência com a respectiva  especificação do CID.

Veja Também

Gil de Camillo fala sobre ‘Arquitetura de Resultado’ no ‘Café com Negócios’
Terapeutas holísticos de MS se organizam em Associação
Agetran alerta para interdições em vias neste sábado e domingo
Idosa sofre com adiamentos de cirurgia
Trabalhador fica preso em ferragens após acidente em rodovia
Governo revitaliza asfalto de três rodovias estaduais
Justiça Federal torna Cabral réu pela 23ª vez na Lava Jato
Prefeitura convoca mais 70 médicos inscritos na cadastro temporário
Em MS Atenção motoristas: BR-163/MS passa por obras da CCR MSVia Em caso de chuvas, as obras serão suspensas
Drone e ferramentas artesanais fazem sucesso na 3ª edição da Tecnofam