Campo Grande •26 de Julho de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Sábado, 10 de Setembro de 2016 - 08h52Fauna silvestre do Pantanal é monitorada por GPSPesquisa busca o desenvolvimento e aperfeiçoamento de equipamentos de telemetria

(Foto: Divulgação)

Walfrido Moraes Tomas, pesquisador da Embrapa Pantanal, coordena o projeto “Desenvolvimento de sistema nacional de monitoramento fauna silvestre com colares GPS para estudos ecológicos e de mitigação de impactos de projetos hidroelétricos” em parceira com a Companhia Elétrica de São Paulo (Cesp) e a Fundect. A pesquisa busca o desenvolvimento e aperfeiçoamento de equipamentos de telemetria de animais silvestres com tecnologia de GPS, ainda não produzidos no Brasil.
O projeto irá desenvolver um equipamento nacional de monitoramento baseado em tecnologia GPS, incluindo sistema de posicionamento, recepção, envio e armazenamento de dados, além de software específico para tratamento de dados. Serão produzidas unidades suficientes para testes de campo em estudos sobre cervos-do-pantanal (Blastocerus dichotomus), queixadas (Tayassu pecari), jacarés (Caiman latirostris), veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus) e veado-mateiro (Mazama americana).

A coleta de dados é feita periodicamente, a cada dois ou três meses, visando fazer o download dos dados coletados pelos colares. Os dados são referentes à posição do animal  (coordenadas geográficas, horário, data, etc.), os quais são obtidos m vários intervalos de tempo. “Em queixadas, por exemplo, estamos programando os colares para um registro de posição dos animais a cada meia hora. Nos primeiros três meses de teste de uma das queixadas, por exemplo, foram obtidas 4 mil localizações, o que permite detalhar muito os locais escolhidos pelos animais na paisagem, bem como aqueles evitados, entre outras inferências acerca da ecologia da espécie em questão”, explica o pesquisador.

O projeto está na fase de implantação de colares nos animais, no campo, e monitoramento das atividades e da performance dos equipamentos. “Além do desenvolvimento tecnológico dos equipamentos, as atividades do projeto incluem a captura de animais utilizando diferentes técnicas, sua contenção química (com drogas anestésicas) ou física, e implantação dos colares-gps, e o monitoramento dos animais visando a coleta de dados de localização”, afirma Tomas.

(Com informações da assessoria de imprensa do governo de MS)

Veja Também
Professores do Estado aceitam reajuste parcelado
Abertas as inscrições para voluntários atuarem no programa Brasil alfabetizado
Agetran interdita vias para eventos beneficentes e festas julinas
Detran dá continuidade ao programa ‘Vencendo o medo de dirigir’
Apneia do sono prejudica o equilíbrio da mente e do corpo
Carteira de motorista eletrônica valerá a partir de 2018
Morte de araras-azuis preocupa especialistas
Aniversário da Capital terá casamento coletivo
“Mostra Gastronômica” é atração inédita do FIB em 2017
75% dos atendimentos são da ortopedia
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento