Menu
7 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Esporte

Estado, UFMS e MPE avançam proposta da reforma do Morenão

Projeto executivo vai estabelecer um cronograma de prioridades e etapas

13 Ago2019Da redação13h00
(Foto: Saul Schramm/Governo de MS)
  • (Foto: Saul Schramm/Governo de MS)

O projeto executivo da reforma do Estádio Pedro Pedrossian (Morenão), a ser elaborado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul ), vai estabelecer um cronograma de prioridades e etapas, de forma que a praça esportiva, hoje interditada, seja liberada em tempo hábil para sediar jogos do Campeonato Sul-Mato-Grossense de 2020.

Esta foi uma das deliberações definidas na reunião entre a UFMS, Governo do Estado e Ministério Público Estadual (MPE), nesta segunda-feira (12/8), com o objetivo de acelerar as obras de adequações com a finalidade de cumprir o laudo pericial, que apontou deficiências nos setores de segurança, hidráulica, elétrica e de acessibilidade do estádio. O investimento, incluindo todas as fases da reforma em discussão, foi estimado em R$ 4 milhões.

A reabertura do Morenão, interditado pelo MPE por não cumprir o Estatuto do Torcedor, está sendo viabilizada por meio de acordo entre a UFMS e Estado. A instituição federal elaborará o projeto executivo, cabendo à Agesul a sua execução com recursos do tesouro estadual. Parte da verba será liberada pelo Fundo Estadual de Defesa do Consumidor, vinculado ao Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de MS).

Resgate de um patrimônio - Por determinação do governador Reinaldo Azambuja, após a execução das obras de ajustes estruturais do Morenão, que se estenderá até 2020, o Estado apresentará uma proposta à UFMS e a parceiros privados para transformar o estádio, inaugurado em março de 1971, em uma arena moderna para sediar partidas pelo Campeonato Brasileiros e internacionais, além de grandes eventos esportivos, de entretenimento e culturais.

“Vamos definir metas de curto e longo prazos para atendermos o futebol profissional, a partir de janeiro de 2020, e um projeto macro, onde o Estado quer preparar o Morenão para sediar grandes eventos e devolve-lo definitivamente ao nosso torcedor”, explicou Carlos Alberto Assis, secretário especial do Governo do Estado. “Com o empenho dos atores e a participação fundamental do Ministério Público com certeza alcançaremos esse objetivo”.

Para o reitor da UFMS, Marcelo Turine, o resgate do Morenão, com a disponibilidade de recursos do Estado, contempla não apenas o futebol, mas, sobretudo, preserva um patrimônio federal. “Estou muito feliz por essa parceria, enquanto UFMS. Hoje não temos orçamento para reformar e manter o estádio e sua reabertura se somará a revitalização que estamos fazendo no seu entorno, onde o objetivo é instalar serviços públicos e dar vida àquele lugar”, disse.

Entrando no círculo virtuoso - Ficou definido que a UFMS e a Agesul vão debruçar na elaboração do projeto executivo, inicialmente para atender os quatro itens do laudo técnico, no qual o MPE se baseou para interditar o estádio, com a participação da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Paralelamente, Estado e UFMS vão formular juridicamente esse acordo para que não ocorra nenhum empecilho no cumprimento das etapas nas obras previstas para o estádio.

Presente à reunião, o procurador Luiz Eduardo de Almeida, da 43ª Promotoria de Justiça e Defesa do Consumidor, manifestou seu otimismo com os avanços na elaboração da proposta para readequar o Morenão. “O objetivo é garantir conforto e bem-estar ao torcedor, existe um laudo apontando problemas estruturais com riscos de níveis médios e, desde 2005, o estádio está sendo liberado com restrições. Estamos convergindo para uma solução definitiva”, frisou.

Para o promotor, é preciso sair do círculo vicioso e entrar no virtuoso. “Temos que embalar essa roda, focar nessa proposta, onde quem ganhará é o futebol, o torcedor e a cidade”, pontuou. “Encontramos uma receptividade muito grande no Governo do Estado e na universidade e acreditamos que a proposta vai avançar e acontecer com as obras necessárias para atender, num primeiro momento, ao Estatuto do Torcedor”, completou.

Todos os atores envolvidos - A reunião de segunda-feira contou com a presença do comandante da Polícia Militar, coronel Valdir Acosta; comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Antônio de Mello; procurador Wagner Moreira Garcia, da Procuradoria-Geral do Estado (PGE); Marcelo Miranda, diretor-presidente da Fundesporte; Marcelo Malheiros, pró-reitor da UFMS; Ricardo Marcelino Santana, procurador da UFMS; Rodrigo Bezerra Vaz, do Procon; e Luiz Mário Penteado, da Agesul.

Veja Também

Como prevenir acidentes com eletricidade em dias de chuva
PMA apreende 1.000 metros de redes de pesca
Live arrecada alimentos e fraldas para entidades sociais de MS
MS terá mais um fim de semana de temperaturas amenas
Confira passo a passo para obter licenciamento através de aplicativo
Blitz sanitárias abordaram mais de 2,8 mil na Capital
Política de gestão das águas tem adesão de 431 indústrias em MS
TJMS altera competência de varas cíveis de Campo Grande
Com o tema ´Fogo Mata´, Reflore/MS lança campanha contra incêndios
Piscinas públicas da Capital voltam a funcionar em Agosto