Menu
22 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Alerta

Estado registra 58 mortes em decorrência da gripe

Os números foram divulgados pelo boletim epidemiológico da Influenza, da Secretaria de Estado de Saúde

15 Ago2019Diário Corumbaense10h05

Até esta quarta-feira, 14 de agosto, Mato Grosso do Sul registrou 58 mortes em decorrência do vírus da gripe em 2019. Desse total, 04 vítimas são de Corumbá, que aparece junto com Aquidauana, com o mesmo número de óbitos causados pela doença. Os números foram divulgados pelo boletim epidemiológico da Influenza, da Secretaria de Estado de Saúde.

Só nos primeiros dez dias do mês de agosto, o Estado registrou cinco mortes, sendo duas em Campo Grande, uma em Aquidauana, uma em Paraíso das Águas. A quinta morte foi diagnosticada em Naviraí, por H3N2. Em Corumbá o último caso confirmado foi em 31 de julho, quando uma idosa de 67 anos veio a óbito. Ela estava internada na Santa Casa.

Os outros casos de H1N1 na região pantaneira foram registrados em junho com a morte de duas mulheres, uma do grupo das puérperas e uma servidora da Receita Federal. Já em janeiro, um homem de 41 anos foi a óbito pelo vírus H3N2.

Ao Diário Corumbaense, a Secretaria Municipal de Saúde, garantiu que não há nenhuma pessoa internada na Santa Casa da cidade com sintomas da doença.

Campo Grande lidera o ranking de mortes pela doença com 21 casos confirmados, de acordo com o boletim epidemiológico da Influenza. Logo em seguida aparecem Três Lagoas com seis casos e Corumbá e Aquidauana com quatro óbitos cada município. 

Sintomas e prevenção

A gripe, ou influenza sazonal, inicia-se em geral com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios como a tosse e outros, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre.

Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

Para evitar a gripe ou a sua transmissão também é necessário fazer uso de medidas preventivas como: higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar; depois de usar o banheiro, antes de comer, antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimãos, bancos, maçanetas etc.).

Manter hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, ingestão de líquidos e atividade física. Pessoas com síndrome gripal devem evitar contato direto com outras pessoas, abstendo-se de suas atividades de trabalho, estudo, sociais ou aglomerações e ambientes coletivos.

Veja Também

ALMS derruba veto e insenção em concurso para mesários continua
Ibama pretende monitorar desmatamento
Sejusp fecha fronteira e apreende sete toneladas de drogas
Agehab notifica beneficiários de Corumbá por inadimplência
Praça dos imigrantes terá um canto às mulheres
Rampa para desembarque de barcos está sendo construída
Bolsonaro volta a dizer que ONGs podem estar por trás de queimadas
Motociclista se surpreende ao avistar onça-pintada
Bombeiros fazem alerta sobre dias de tempo seco
Feriado do Servidor Público é transferido para o dia 10 de outubro