Menu
26 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Meio Ambiente

Escola da Capital ganha bosque de árvores rodeadas de palavras

Mudas de árvores foram cultivadas no viveiro da Águas Guariroba

25 Set2016Da redação15h00

Um bosque de palavras foi plantado na Escola Estadual Élia França Cardoso, no bairro São Conrado, em Campo Grande. Paz, amor e esperança foram algumas das palavras cultivadas pelos estudantes, marcando o início da primavera no plantio do primeiro Bosque das Palavras. Mais dois serão plantados em outras regiões da Capital.

As mudas de árvores que foram cercadas de palavras na escola foram cultivadas no viveiro da Águas Guariroba, mantido na maior estação de tratamento de esgoto da cidade, a ETE Los Angeles. No local, são produzidas por ano cerca de 50 mil mudas de árvores nativas do cerrado. 

O plantio do Bosque das Palavras marca ainda a semana do Dia da Árvore, comemorado no dia 21 de setembro. O objetivo é incentivar a participação da comunidade para zelar pelo crescimento e desenvolvimento dos bosques.

“Estamos sempre preocupados com essa questão da sustentabilidade, por isso fazemos essas ações de plantio e, desta vez, quisemos incorporar as palavras, porque a palavra é o que nos dá esperança de viver, quando a gente nomeia a vida. Por isso essa ideia de plantar palavras junto das árvores”, destacou Alex Bachega, diretor da Rádio Blink 102.

“As crianças têm o aprendizado dinâmico, então ações práticas, como o plantio, agregam muito à educação ambiental já desenvolvida pela escola. Aqui nós incentivamos nossos alunos a terem boas práticas que levarão a nossa cidade a um futuro mais sustentável. As crianças estão construindo essa ideia, elas são a esperança do nosso futuro”, avaliou a diretora da Escola Élia França Cardoso, Gleyce Cruz de Melo.

Vitória Beatriz Ojeda, de 9 anos, aluna do 4º ano, plantou as palavras amor, esperança e alegria. “Acho essas palavras bonitas, são minhas preferidas e elas vão ficar aqui pra sempre pra gente cuidar”. Jarmeny Ana Gil Gleizer, de 16 anos, do 3º ano do ensino médio, escolheu as palavras paz e mundo para a sua árvore. “Acho que tem a ver com sustentabilidade. Precisamos de paz para ter um mundo melhor em todos os sentidos”, afirmou a jovem.

 

Veja Também