Menu
16 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Procon

Empresas de Transportes desrepeitam consumidores

Através de uma diligência feita pelo Procon/MS contataram que as empresas não disponibilizava passagem gratuita

18 Jun2019Byanca Santos - Especial para o Diário Digital18h11

O Procon/MS no início desta semana, na segunda feira, 17 de junho, atuou empresas de transporte que desrespeitavam o direito do consumidor, principalmente idosos com 60 anos ou mais é recorrente no terminal rodoviário de Campo Grande.

Através de uma diligência feita por fiscais da Superintendência para Orientação e Defesa de Mato Grosso do Sul (Procon/MS) constataram que as empresas não disponibilizava benefício de passagem gratuita ou, pelo menos, com desconto de 50 por cento aos beneficiários. A irregularidade mais recente diz respeito às duas empresas que, de acordo com reclamação dos consumidores, não têm previsão de disponibilizar a passagem nos próximos 30 dias, mesmo estando com a venda aberta.

Segundo relatos da fiscalização do Procon Estadual, para ser atendidas, as pessoas precisavam recorrer aos guichês várias vezes, se deslocando com dificuldade, e mesmo assim não são atendidas.

No caso de uma das empresas, a verificação foi que, apesar da empresa dispor de linha ligando Campo Grande a Campinas (SP) uma vez por dia, durante toda a semana, em apenas uma das sete linhas é liberada a gratuidade e, ainda assim, apenas 50 por cento e não tem perspectiva de liberação para os próximos 30 dias.

Na outra empresa a situação é ainda pior, uma vez que realiza 21 viagens durante a semana com destino a Curitiba (PR) e, em apenas três delas libera passagem grátis às pessoas que têm direito. Ainda assim, a disponibilidade de apenas 50 por cento de desconto só poderá ocorrer no dia 18 de agosto, de acordo com atendentes nos seus guichês. Os representantes da empresa alegam que a liberação só ocorre em linhas convencionais.

Com esses procedimentos as empresas estão infringindo o Código de Defesa do Consumidor e a Constituição Federal em seu artigo 230, que tratam da liberação das passagens determinando que isto ocorra em todas as linhas, independentemente de serem convencionais ou não.

A empresa autuada tem prazo para apresentar defesa ao Procon/MS.

(Com informações da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS)

 

 

Veja Também

Comarca de Três Lagoas realiza capacitação em mediação e conciliação
Colisão mata casal e bebê na BR-267
Caminhada pela Prematuridade será neste domingo em Campo Grande
Projeto que institui renda mínima ao Registrador Civil é aprovado
Democratas acusam Trump de intimidar testemunhas de impeachment
Defensoria Pública atenderá manifestantes agredidos em terminal
Pronto Socorro de Corumbá deverá ser entregue em maio, diz governador
Oficina discute práticas saudáveis de prevenção ao câncer
Ministro Toffoli mantém acesso a relatórios sigilosos
Morales diz que não se sente responsável pela atual crise na Bolívia