Menu
26 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Supermercados

Empregados em supermercados recusam proposta dos patrões

Empresários do setor ofereceram metade do INPC acumulado nos 12 meses

11 Abr2017Da redação17h35

Depois da oferta de reajuste salarial de R$ 4,95 aos empregados em supermercados de Campo Grande, os empresários do setor apresentaram nova proposta, de metade do INPC acumulado nos 12 meses que antecedem o dia 1º de abril, data base da categoria. Entretanto, essa proposta também foi recusada pelos empregados, que querem a reposição integral das perdas para a inflação (em torno de 6%) e mais 1% de ganho real.

Essa decisão dos trabalhadores foi tomada na segunda-feira, durante a segunda rodada de negociação com a classe patronal. De acordo com Idelmar da Mota Lima, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Campo Grande – SECCG, essa decisão de não abrir mão do acumulado da inflação, já havia sido tomada pelos empregados durante assembleia geral na sexta-feira na sede do sindicato.

Diante da recusa de sua proposta de metade do INPC, os donos de supermercados, por intermédio de sua entidade, a Amas – Associação Sul-mato-grossense de Supermercados, pediu prazo para reunir seus associados, em assembleia geral, para reavaliar a posição dos empregados de não abrir mão da reposição de todas as perdas para a inflação e mais um ganho real.

Os comerciários também se reúnem nesta quarta-feira(12) às 19 horas para avaliar o andamento das negociações com a classe patronal. A assembleia geral da categoria será na sede do SECCG, na Rua Fernando Augusto Correa da Costa, 33, Jardim América. 

 

Veja Também