Menu
24 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Campo Grande

Em visita à Máxima, pesquisadores ingleses destacam importância da educação no ambiente prisional

Pesquisadores vieram à Capital participar do “Colóquio Internacional sobre Segurança Pública: Debate sobre o encarceramento”

13 Mai2017Da redação12h44

Dois professores pesquisadores da Universidade de Westminster (Criminologia) de Londres, Sacha Darke e Andreas Aresti, visitaram esta semana o Estabelecimento Penal “Jair Ferreira de Carvalho (Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande). Eles tem percorrido algumas penitenciárias no país, pois desenvolvem estudos sobre prisões brasileiras.

Os pesquisadores vieram à Capital participar do “Colóquio Internacional sobre Segurança Pública: Debate sobre o encarceramento”, provido esta semana pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e aproveitaram para conhecer a unidade prisional. A vista foi acompanhada por alunos de mestrado e graduação na área de Psicologia.

“Considero muito importante esse intercâmbio, nos trouxe informações preciosas e experiências que podem nos ajudar a desenvolver novos projetos”, declarou o diretor da penitenciária, Paulo Godoy, que conduziu os pesquisadores.

Os estudiosos percorreram diversos setores da unidade prisional, como as salas de aula, setor de saúde, fábrica de brinquedos pedagógicos e o pavilhão destinado a presos psiquiátricos. Na oportunidade, os pesquisadores ingleses conversaram com internos e servidores penitenciários e relataram algumas ações adotadas pelo sistema carcerário inglês.

Durante a visita à sala de aula do presídio, o pesquisador Andreas Aresti surpreendeu a todos com um depoimento emocionante sobre sua história de vida, revelando que esteve em situação de prisão na Inglaterra e que foi o estudo que o ajudou na mudança de sua vida.

Para a chefe da Divisão de Educação da Agepen, Rita de Cássia Argolo, que acompanhou a visita à escola da penitenciária, o depoimento foi muito importante para estimular os detentos a encararem o estudo como um importante meio de reinserção social.

Parceria

Conforme a professora doutora Andrea Cristina Coelho Scisleski, do Programa de Pós-graduação da Universidade católica Dom Bosco (UCDB), que coordenou a visitação, conhecer de perto a realidade do presídio é importante para quem realiza pesquisa na área. “Muitos trabalhos acadêmicos ficam na esfera teórica apenas. Isso não é um problema a meu ver. No entanto, se a proposta é trabalhar com população que se encontram em determinadas situações, como é o caso da população prisional, é fundamental que o pesquisador possa ter a experiência de estar fisicamente presente na instituição. Dessa forma, o objetivo da visita é poder ter essa experiência”, destacou.

Segundo a professora, a ideia é que essa experiência possa subsidiar questões de novos encaminhamentos à pesquisa e novos projetos. “Nesses novos projetos, há a pretensão de uma parceria com a instituição, mas que ainda precisam ser elaboradas estratégias em conjunto. Por isso, vamos seguir o contato com a direção”, explicou.

Andrea destacou, ainda, que é importante trabalhar o conceito de socialização não só com os apenados, mas com a sociedade, já que existe uma ideia de exclusão por parte dela. “Não se trata apenas de oferecer escolaridade ou de capacitar para o trabalho formal, o que evidentemente é indispensável, mas de evitar a reincidência”, disse. “Essa reincidência não é culpa apenas do preso, mas também da sociedade. Oferecer vagas de trabalho é importante, mas também é importante sensibilizar colegas e empregadores sobre preconceito, exclusão, etc.”, ressaltou.

Para a pesquisadora, a volta do preso para a prisão não torna a sociedade mais segura ou justa., mas sim a real vinculação desse preso no trabalho formal, na educação, etc. “É nesse sentido que entendo que devemos trabalhar juntos”, finalizou.

Veja Também

Lei que dá desconto no IPTU a quem instalar câmeras é promulgada
Parque da Capital é fiscalizado após denúncia popular
Canditados já podem conferir se tiveram ou não isenção no Enem
Em Três Lagoas, artesãos serão cadastrados e receberão carteirinha
OAB-MS acionará CNJ contra obrigação de digitalizar processos
Vale Universidade Indígena convoca pré-habilitados para nova etapa
Governo premiará servidores que desenvolvem boas práticas no serviço público
Economia Parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas é regulamentado Valor da parcela mínima será de R$ 50,00 para o microempreendedor individual
Moringa pode purificar a água e ainda combater a desnutrição pelo mundo
Secretário fala de ações do Estado para reforçar a segurança na fronteira