Campo Grande •22 de Novembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo - Governo Presente - Matrícula

Da Agência Brasil | Terça, 7 de Fevereiro de 2017 - 11h23Eduardo Cunha presta depoimento hoje à tarde em CuritibaDepoimento está marcado para as 15h

Deputado cassado está preso preventivamente desde o dia 19 de outubro
Deputado cassado está preso preventivamente desde o dia 19 de outubro (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O deputado cassado Eduardo Cunha será interrogado hoje (7), pela primeira vez, pelo juiz federal Sérgio Moro, no processo em que é réu na Operação Lava Jato. Cunha é acusado de receber propina no valor de R$ 5 milhões em contrato para a compra de um campo de petróleo pela Petrobras em Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro. O depoimento está marcado para as 15h.

De acordo com o advogado de Cunha, Marlus Arns de Oliveira, apesar de ter o direito de ficar calado, o deputado cassado falará. “É um interrogatório em que ele não deve permanecer em silêncio. Ele vai responder às questões que serão formuladas. Temos trabalhado cotidianamente o preparo das resposta às acusações que lhe foram imputadas.”

O defensor afirma também que não há, por enquanto, previsão de delação premiada. “Não há nenhuma sinalização relativa à colaboração premiada. Não se tratou dessa questão entre cliente e advogados, tampouco se tratou dessa questão com o Ministério Público. Então, não há tratativa referente à colaboração premiada de Eduardo Cunha.”

O deputado cassado está preso preventivamente desde o dia 19 de outubro. De acordo com o Ministério Público Federal, a prisão preventiva se justifica porque há evidências de que Cunha tem contas no exterior que ainda não foram identificadas, o que poderia colocar em risco as investigações. Os procuradores também alegam que ele tem dupla nacionalidade – brasileira e italiana - e poderia fugir do país.

Cunha ficou na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, mas em dezembro foi transferido para o Complexo Médico Penal, na região metropolitana da capital paranaense.

O processo contra ele foi aberto pelo Supremo Tribunal Federal, mas após a cassação do mandato, ele perdeu o foro privilegiado e a ação foi encaminhada a Sérgio Moro.

Após a prisão, a defesa de Cunha negou que ele tenha praticado qualquer conduta ilegal.

Veja Também
Anatel registra queda de 5,7% nas reclamações contra empresas de telecomunicação
Inscrições para residências Médica e Multiprofissional do HU-UFGD encerram-se sexta-feira
Submarino desaparecido está em fase
Carreta da Justiça realiza 1º Júri da história da comarca de Figueirão
Parada LGBT será realizada neste sábado na Capital
Quarta, 22 de Novembro de 2017 - 12h54Atenção motoristas: BR-163/MS passa por obras da CCR MSVia Em caso de chuva, as obras poderão ser interrompidas
Mega-Sena acumulada pode pagar prêmio de R$ 50 milhões nesta quarta
Programa Saúde do Homem e da Mulher Rural do Senar chega a Figueirão
Governo rescinde contrato com empresa que iniciou Aquário do Pantanal
Quarta, 22 de Novembro de 2017 - 11h06Matrícula Online 2018 da REME de Três Lagoas começa a funcionar nesta quarta-feira Lançamento oficial do sistema será na sexta-feira
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento