Menu
21 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner FIEMS - Mês da Industria
Caso lava jato

Dupla que violentou garoto responde por lesão grave

Menino que teve mangueira de pressão acionada no corpo segue em estado grave

6 Fev2017Valdelice Bonifácio e Mariel Coelho, com TV MS Record18h50
(Foto: Marco Miatelo)
  • No lava Jato, não havia ninguém na tarde desta segunda-feira; estabelecimento, aliás, está à venda
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

A Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), de Campo Grande, está investigando um crime praticado contra um adolescente que trabalhava em um lava jato localizado, no Jardim Morumbi, em Campo Grande. O garoto de 17 anos teve a mangueira de alta pressão colocada no ânus e perdeu parte do intestino. A vítima está internada em estado grave na Santa Casa de Capital, desde a data dos fatos, a sexta-feira passada, dia 3 de fevereiro.

Os responsáveis pelo crime são o dono do lava jato e um amigo de infância da vítima que também trabalhava no local. Por enquanto, os dois responderão pelo crime de lesão corporal grave, com pena prevista de até cinco anos de prisão, segundo o delegado Paulo Sérgio Lauretto. O delegado não cogita pedir a prisão da dupla que, segundo ele, prestou socorro à vítima, se apresentou à polícia e, além disso, não oferece riscos ao adolescente.

Conforme o apurado pela Polícia Civil, a vítima era alvo constante de brincadeiras de gosto duvidoso no local de trabalho. A dupla que praticou a agressão alega que na data do incidente, foi a própria vítima quem começou a “brincadeira” insinuando que colocaria a mangueira no ânus do colega.

Na delegacia, a sogra do dono do lava jato defendeu o rapaz. Segundo ela, tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto e que a mangueira foi colocada por cima da roupa. Porém, segundo uma testemunha, o adolescente foi despido e aí teve a mangueira introduzida no ânus.

Para a sogra, os familiares do adolescente agredido que reclamam do estado de saúde da vítima estariam exagerando. Contudo, segundo informação do hospital, o estado é grave.

Já a mãe do adolescente está inconformada. Em entrevista à TV MS Record, ela classificou o fato como brincadeira de mau gosto e disse que quer Justiça.

Lava Jato - A reportagem do Diário Digital esteve no lava jato hoje à tarde, mas não encontrou ninguém no local. O estabelecimento, aliás, está à venda em um site. No anúncio, o proprietário explica o motivo da venda que seria viagem e pede R$ 45 mil pelo lava jato. “Valor sujeito à proposta. Pego carro como parte do pagamento”, diz o anúncio. A mensagem foi postada no dia 1º de fevereiro, portanto, dois dias antes do crime.

(Com informações da TV MS Record)

Veja Também