Menu
19 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Em MS

Direitos Humanos em Ação encerra semestre com mais de três mil atendimentos

Temáticas trabalhadas foram Direitos Humanos, Valores, Protagonismo e empreendedorismo

13 Nov2017Da redação11h28

O projeto Direitos Humanos em Ação/Vai à Escola, realizado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast,) em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Sed) através do Programa Cultura, Arte e Paz (CAP), encerrou suas ações deste segundo semestre de 2017 na sexta-feira (10.11), totalizando 3.750 atendimentos.

As escolas indicadas pela SED para o desenvolvimento do projeto neste segundo semestre são: EE Carlos Henrique Schrader (no Jardim Flamboyant); EE João Carlos Flores (no Rita Vieira); EE Luiza Vidal Borges Daniel (no Bom Jardim); e EE Professora Zélia Quevedo Chaves (no Iracy Coelho).

A Superintendência da Política de Direitos Humanos (SUPDH/Sedhast) e a Coordenadoria de Educação e Promoção em Direitos Humanos (CEPDH) informam também que dentre essas escolas, a EE Professora Zélia Quevedo Chaves solicitou para a SED que o projeto continuasse neste semestre, pois segundo relatório do diretor, houve grandes mudanças de alunos na escola e, por esse motivo, o projeto foi realizado em outras turmas desta vez do Ensino Fundamental.

“Eu pude perceber que os alunos foram muito participativos, e desde o primeiro dia da oficina até o último dia dá para perceber a grande mudança entre os alunos, com relato até mesmo dos professores e diretores das escolas. Isso para mim foi uma grande conquista, pois eu sei que não posso mudar todos os alunos que participam do projeto, mas se eu mudar a metade já será uma grande conquista para mim”, contou uma das técnicas do programa, Andressa da Silva.

Para a técnica Marlucy Marques, o Projeto DH Vai à Escola é um trabalho muito relevante. “Para mim enquanto técnica e como pessoa humana, pois ao mesmo tempo que levamos para os alunos que os direitos humanos está dentro de cada um de nós, também percebemos o quanto esses alunos são carentes dessa informação e não se dão conta de quanto seus direitos são violados. A escola é sem dúvida um importante espaço de reflexão e ação e nós através do projeto DH Vai à Escola, estamos estimulando a erradicação de todas as formas de violação de direitos”, diz.

Também fazem parte da equipe do programa os profissionais Aparecida Kamy de Calais, Deusnilza da Cruz Martins Galvão, Edmar Antônio Francelino dos Santos, Gislaine Spessoto Soares Matoso , Rosemary Farias da Silva, e como coordenadora, Sabrina Frazeto da Silva, e a superintendente da Política de Direitos Humanos, Ana Lúcia Américo Antônio.

As temáticas trabalhadas foram Direitos Humanos, Valores, Protagonismo e empreendedorismo.

Veja Também

Clima Manhãs frias e tardes quentes Dias devem permanecer com temperatura em elevação
Sitiante é autuado por manter macaco-prego em cativeiro
Anvisa suspende venda de fraldas Huggies Turma da Mônica
Colisão frontal mata duas pessoas em rodovia
Simted rejeita proposta feita pela prefeitura de Corumbá
Governo do Estado promove 113 PMs a sargento
Campanha do Agasalho do Judiciário é prorrogada até o dia 10 de julho
Castração de gatos no CCZ deverá ser agendada presencialmente
Empresário sugere proibição de fogos de artifício com ruído
Deficientes poderão ser isentos de taxa de inscrição em concursos