Campo Grande •23 de Março de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Quarta, 28 de Setembro de 2016 - 13h56Destino de famílias indígenas que ocupam área pública será definido hojeÍndios teriam abandonado comunidade de origem em busca de melhores condições de vida

(Foto: Funai/MS-Divulgação)

O pedido do Ministério Público Federal (MPF) foi agendada para hoje (28) às 17 h, na 1ª Vara da Justiça Federal, audiência de conciliação que vai discutir a situação de 55 famílias indígenas que ocupam área pública na Vila Romana, que pertence à Prefeitura de Campo Grande. 

Relatório elaborado pela Funai revela que são 55 famílias que, diante do confinamento territorial sofrido, teriam abandonado sua comunidade indígena de origem (Taunay/Ipegue, localizada em Aquidauana-MS) em busca de melhores condições de vida. Além de não terem onde morar, os indígenas enfrentam a falta de alimentos de primeira necessidade.

O MPF atua no caso buscando uma solução emergencial para esta questão: “O fato dessas famílias terem abandonado suas terras tradicionais para buscarem novas oportunidades em área urbana não é suficiente para usurpá-las da proteção estatal, no que tange aos seus direitos legais e constitucionalmente garantidos”. 

A prefeitura ajuizou ação de reintegração de posse contra os indígenas. Em parecer, o Ministério Público Federal (MPF), designado pela Constituição para atuar na defesa dos interesses dos índios, opinou pela regularização da área ou o cadastro dos cidadãos em programas habitacionais, “a exemplo do que aconteceu com os moradores da ocupação Cidade de Deus – reassentados em outra localidade, distante do lixão de Campo Grande, e contemplados com casas de alvenaria construídas em sistema de mutirão”.

Para o MPF, a prefeitura, ao ajuizar a ação de reintegração de posse, apenas reforçou a exclusão dos assentados. “É curioso notar que a Prefeitura Municipal de Campo Grande, cuja uma de suas funções é justamente promover os direitos sociais de seus munícipes, está, no caso concreto, atuando justamente em desfavor da efetivação dos direitos sociais dos assentados, em especial o direito constitucional à moradia e a uma vida digna”.

No parecer, o MPF solicitou à Justiça a designação de audiência de conciliação para mediar o conflito. Além disso, oficiou a Funai, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) para, respectivamente, providenciarem o registro individual dos indígenas, o fornecimento de cestas básicas e o cadastramento dos moradores do Assentamento Vila Romana no programa Vale Renda.

 

Veja Também
Dia Mundial da Água é celebrado com plantio de mudas nativas
Secretaria de Meio Ambiente de Três Lagoas promove ações no dia mundial da água
Tecnologias inovadoras reduzem consumo de água na construção
Ministro Torquato apresenta programa Empresa Pró-Ética
Brasil carece de legislação para reúso de água, diz coordenador da ANA
Confira escala médica desta quarta-feira na Capital
Ministro da Agricultura vai ao Senado explicar denúncias da Operação Carne Fraca
Quarta, 22 de Março de 2017 - 12h32No Dia Mundial da Água, ONU critica desperdício e pede ações de reaproveitamento Além de atender às necessidades por água limpa, o reúso também significa o tratamento de esgotos e dos efluentes domésticos
Quarta, 22 de Março de 2017 - 11h58“HU de Portas Abertas” recebe visita do Ministério Público Federal Programa visa aproximação com a comunidade e com instituições representativas
Quarta, 22 de Março de 2017 - 11h40“Empreendedorismo em Dois Tempos” é tema de palestra na Uems Palestras acontecerão no Auditório Central da Uems no campus em Dourados
Square Banner Sicredi
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento