Menu
19 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner ALMS - Parlamento Jovem
Eleições 2016

Descontentes, eleitores mantém fé em mudança

Logo nas primeiras horas, eleitores formaram filas nas sessões de votação

2 Out2016Larissa Mendes, especial para o Diário Digital08h42
Assim que abriram os portões, a movimentação foi grande. (Foto: Luciano Muta)
  • Maior parte do eleitores Campo-grandenses possui entre 25 e 34 anos.
  • Assim que abriram os portões, a movimentação foi grande. (Foto: Luciano Muta)
  • Seu jorge quis ir 'resolver os problemas' logo cedo. (Foto: Luciano Muta)
  • O prefeito que ganhar irá ter que fazer das tripas o coração, relata Onildes. fazer das tripas o coração
  • Primeira vez que Bruna irá votar. (Foto: Luciano Muta)

As 8h deste domingo, 2 de outubro, os portões dos locais que abrigam as sessões eleitorais abriram para a população escolher seu prefeito e vereador. Na escola Estadual Hercules Maymone o movimento não foi grande e segue de forma pacífica. 

Antes dos portões se abrirem, o fluxo de pessoas foi crescendo, mas sem grande significativa. Cerca de 30 eleitores aguardavam na frente da escola para votar, localizada na Rua Joaquim Murtinho, em Campo Grande.

Jorge Cordeiro de 61 anos quis “resolver os problemas” logo cedo, com os números dos candidatos gravados na cabeça, acredita que eles irão ganhar e espera que o quadro político mude, "tomara que quem ganhar, melhore as coisas por aqui que não estão boas", comenta Jorge. 

Há quem diga, como o seu Onildes Saldanha, 66 anos, que o novo prefeito irá ter que “fazer das tripas o coração”, para salvar Campo Grande do estado em que está.  “A cidade está um caos e entre o mal e o ruim, temos que escolher alguém e acredita que vai haver mudança”.

Primeira vez votando, a estudante, Bruna de Souza, 18 anos, acredita que o voto é importante para a democracia, mas sobre o atual estado político declara, “a política está uma bagunça, mas acho que vai dar certo”.  

O eleitor poderá votar até às 17h, é preciso apresentar algum documento com identificação na hora. O título não é obrigatório, mas é importante para saber a sessão.  Só na capital, são 595.174 eleitores. 

Veja Também