Campo Grande •17 de Dezembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner 1 Governo do estado - Campanha Mudança educação

Da redação | Quarta, 12 de Abril de 2017 - 20h00Deputados alertam para risco iminente em ponte sobre Rio ParaguaiPonte Poeta Manoel de Barros, inaugurada em 2001, não passou por manutenção

(Foto: Divulgação)

O deputado Beto Pereira (PSDB) alertou para uma situação de grave risco na ponte da BR-262 sobre o Rio Paraguai. O aviso foi feito durante a sessão plenária (12/4), quando o parlamentar relatou a participação em audiência pública realizada na Câmara Municipal de Corumbá para discutir a infraestrutura e a segurança das pontes que ligam o município pantaneiro ao restante do Estado. 

A ponte Poeta Manoel de Barros, na região de Porto Morrinho, foi inaugurada em 2001 e não teria passado por obra de manutenção. Conforme relatórios divulgados na audiência e apresentados por Beto Pereira aos demais parlamentares, desde a inauguração foram registrados vários acidentes com barcaças que colidiram nos dolfins de proteção dos pilares, o que compromete a estrutura da ponte e coloca em risco a segurança rodoviária e hidroviária no local.

O último acidente ocorreu no dia 1 de abril deste ano. "O mais grave revelado no relatório é que o acidente proporcionou um sério risco à integridade da estrutura da ponte e poderia gerar grandes transtornos como a interdição e a interrupção do tráfego de veículos por longo período, fato já ocorrido em situação semelhante. Este tipo de acidente é recorrente. A ponte possui quatro dolfins protetores dos pilares, mas um destes protetores foi perdido em uma acidente em 2011", revelou Beto.

Na audiência, o deputado questionou o representante da Marinha sobre o risco de uma barcaça colidir justamente no pilar desprotegido. "O comandante respondeu que há risco de sérios danos e a que ponte pode vir até a ruir", disse Pereira. A fiscalização da hidrovia por onde passam barcaças de grãos, minérios e gado, está a cargo da Marinha do Brasil. O deputado Paulo Corrêa (PR) concorda que o risco é iminente. "Os corumbaenses e nossos irmãos bolivianos correm risco de vida porque a ponte pode cair com trânsito em cima", avisou Corrêa. O deputado questionou a demora para a execução do reparo orçado em R$ 4 milhões, resultado de um acidente ocorrido há seis anos, em uma ponte que custou ao todo R$ 100 milhões. 

Com relação ao reparo, Beto Pereira explicou que a ponte na BR-262 está sob a responsabilidade de uma concessionária que explora o pedágio no local e que tem contrato com o Estado de Mato Grosso do Sul por um período de 13 anos, nove meses e 24 dias. "No edital de concorrência, a empresa tem como objeto de concessão a manutenção da pavimentação, da estrutura da ponte, dos acessos e áreas complementares, da sinalização rodoviária e hidroviária. É de exclusiva responsabilidade da concessionária a reparação dos danos causados à ponte. Vamos convocar o representante da concessionária para vir à Assembleia dar esclarecimentos", finalizou Beto Pereira.

(As informações são da assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa)

Veja Também
Sicredi Centro-Sul MS realiza doação para o Lar do Idoso de Dourados
Deputado destaca desenvolvimento econômico com chegada de recursos para Três Lagoas
Governo autoriza investimento para Três Lagoas
Crescimento do fluxo de automóveis nas estradas aumentam o risco de acidente
Audiências de custódia liberam mais brancos do que negros, diz pesquisa
Hospital cria oportunidade de reencontros para pacientes internados
Consumidor terá prazo para regularizar ligações de esgoto
Vinte e oito casais dizem 'sim' em cerimônia coletiva
Prefeitura entrega revitalização do Cras da Vila Nasser
Obras evitam transbordamento de córrego em período de chuva recorde
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
Rec banner - Patio central
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento