Menu
18 de dezembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega Banner Pátio Central - Natal
Plano de saúde

Correios paralisam contra mudanças no plano de saúde

Hoje acontece julgamento referente a mudanças no plano de saúde dos funcionários

12 Mar2018Elaine Silva - Especial para Diário Digital09h05
Presidente do sindicato dos CorreiosElaine Regina de Souza Oliveira (Foto:Luciano Muta)
  • Greve acontece em todo o país
  • Presidente do sindicato dos CorreiosElaine Regina de Souza Oliveira (Foto:Luciano Muta)
  • (Foto: Luciano Muta)

Desde a noite de ontem (22) às 22h, os serviços do Correios estão paralisados por tempo indeterminado.  Um dos principais motivos é as mudanças no plano de saúde dos funcionários, além de uma ameaça de demissão em massa. A  greve coincide com o julgamento do sobre o plano de saúde no Tribunal Superior do Trabalho (TST), marcado para hoje as 14 horas.  Conforme o sindicato, ainda não informação de quantos funcionários aderiram à greve, mas todos as agências do Correios não estão funcionando.

Entre as mudanças no plano de saúde está o pagamento de o pagamento das mensalidades, baseadas no salário bruto, pelos funcionários e a retirada de dependentes dos contratos. “Lutamos para conseguir, o plano de saúde e agora eles querem tirar nossos pais e mãe. Para conseguir a inclusão deles no plano, eles tem que ter mais de 55 anos  e receber um salário mínimo”,relata a presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios e Telégrafos Elaine Regina de Souza Oliveira.

Além das possíveis mudanças no plano de saúde, outros motivos da paralisação é a falta déficit de funcionários, extinção e terceirização do cargo de operador de triagem e transbordo. “O último concurso que teve foi em 2001, estamos com falta de funcionários, afetando o  nosso atendimento a população, e ainda estamos recebendo ameaças  da atual gestão de demissão em massa. No ano passado foram fechadas agências em todo o Estado, atualmente estamos com 12. Somente conseguimos impedir o fechamento de duas agência em Anhandui e Casa Verde”, informa a presidente.

A greve acontece em todo o país, sem previsão de termino.  Outras decisão serão tomadas  após a decisão relacionada ao julgamento.

Veja Também

CNJ aprova novo auxílio-moradia de até R$ 4.377,73 para magistrados
MPF obriga DNIT a adotar medidas de proteção à fauna pantaneira
Estudo indica que zika pode provocar infertilidade em homens
Inep: quase 300 instituições têm 'nota baixa' de qualidade
Ex-sargento da PM sofre nova condenação
Asilo de Battisti teve motivação político-partidária, diz Sérgio Moro
Resolução define plano de trabalho para agentes de saúde
Confira a escala dos postos de saúde nesta terça-feira
Ato incineratório Defron vai queimar 6.540 kg de drogas Material que será incinerado é produto de apreensões feitas durante o ano
Planalto Posse de Bolsonaro terá de 250 a 500 mil pessoas Cerimonial da presidência espera multidão em Brasília no dia 1º de janeiro