Menu
22 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Campo Grande

Contratados para construir casas não recebem há dois meses sem receber

Trabalhador fala que nem material para trabalhar tem

16 Out2016Da redação08h45

Funcionários contratados pela Organização Não Governamental (ONG) Morar, para construir casas nos lotes cedidos pela prefeitura de Campo Grande, nos bairros Vespasiano Martins, Bom Retiro e Jardim Noroeste, estão há dois meses sem receber.

De acordo com Vagner Aparecido da Silva, de 41 anos, cerca de 400 homens foram acionados para fazer o serviço. “Há dois meses estamos sem receber. Ficam nos enrolando. Nem material para construir tem. Há três semanas que estamos parados por falta de produto para trabalhar”, explicou um dos trabalhadores contratados para executar a obra.

Conforme o site Dourados News, cada pessoa recebe de R$ 30 a R$ 60. “O pedreiro recebe R$ 60 e o ajudante de pedreiro, R$ 30, por dia”, reforçou Vagner, que mora no bairro Santa Luzia e foi contratado para trabalhar na obra.

Com relação à falta de material, a assessoria de comunicação da prefeitura informou que o material está previsto para chegar à próxima semana. Porém com relação ao atraso do pagamento dos funcionários, a prefeitura informou que o responsável pela administração é a ONG Morar.

Veja Também

ONU celebra suspensão de testes nucleares da Coreia do Norte
Mais de 1,4 mil travestis e transexuais pediram nome social no título
Obra de drenangem interdita trecho da Leão Neto na segunda-feira
Ponte de concreto para substituir a que caiu está 91% concluída
Confira os 12 erros mais cometidos na Declaração do IR
Tribunais e cartórios de MS serão inspecionados
Usando arte, evento alerta contra a cultura do estupro
Homem morre afogado após veículo cair em rio
Aposta feita em Brasília fatura mais de R$ 9 milhões na Mega-Sena
Fiocruz fabricará remédios contra HIV e hepatite C para ofertar no SUS